Práticas e significados acerca da humanização na assistência materno infantil na perspectiva dos trabalhadores da saúde (Practices and meaningful about humanization in the maternal-infant healthcare under health workers perspective)

Renata Meira Veras, Fátima Raquel Rosado Morais

Resumo


O presente artigo objetiva aprofundar-se nas formas como os trabalhadores envolvidos na atenção materno-infantil no Sistema Único de Saúde (SUS) se posicionam em relação aos sentidos da humanização na dinâmica institucional e nas experiências cotidianas que moldam o atendimento da saúde materna e perinatal. A perspectiva metodológica utilizada foi a Etnografia Institucional, que tem servido de ferramenta para analisar o cotidiano desses serviços. A análise das construções discursivas dos trabalhadores evidencia a polissemia do termo humanização, voltando-se frequentemente para sentimentos de empatia e acolhimento. Por outro lado, também se observou que os valores e o grau de compromisso dos trabalhadores afetam, positivamente ou não, o processo de trabalho, caracterizando seu próprio modo de cuidar. Todavia, constatou-se que as dificuldades estruturais e funcionais das instituições analisadas limitam as práticas dos trabalhadores, refletindo a desconexão entre a proposta dos documentos públicos e a realidade do trabalho nos serviços de saúde.

 

ABSTRACT - This paper aims to analyze how professionals involved in maternal-infant health care perceive and position themselves with regard to the institutional dynamic and everyday experiences shaping their health care work at two maternal-infant services of the Unified Health System (SUS). The methodology used to study the professionals’ everyday practices at these maternal-infant healthcare services was Institutional Ethnography. The analysis of the professionals’ discourses evidences the polysemic character of the term humanization, tending to convey meanings of empathy and caring concern. It was also observed that professionals’ values and degree of commitment influence their health care actions, characterizing their own way of taking care. However, it was verified that structural and functional institutional difficulties are constraining the professionals’ interventions, showing a disconnection between what is proposed in public documents and the everyday working conditions in health care services.

Keywords: Activities of Daily Living; Humanization of Assistance; Health Personnel; Ethnography


Palavras-chave


Práticas Cotidianas; Humanização da Assistência; Profissional da Saúde; Etnografia Institucional

Texto completo:

PDF


Saúde & Transformação Social/Health & Social Change, ISSN 2178-7085, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.