Suporte psicológico às mães de prematuros em uma UTI Neonatal: relato de experiência (Psychological support to mothers of premature infants in a neonatal intensive care unit: an experience report)

Ana Cristina Magazoni Bragheto, Adriana Vilela Jacob

Resumo


O nascimento de um bebê prematuro é uma experiência extremamente dolorosa para os pais, já que às expectativas dos genitores e familiares não são correspondidas. Sentimentos de incompetência, frustração e culpa por não terem dado à luz ao filho sonhado são vividos intensamente pelos pais enquanto o bebê está internado em uma Unidade de Terapia Intensiva. Este trabalho foi desenvolvido por uma psicóloga, em uma Unidade de Terapia Intensiva Neonatal de um hospital em Ribeirão Preto-SP, e teve como objetivo o atendimento das mães destes bebês durante o período de internação. Foram realizados atendimentos em grupo e individuais. O atendimento nesse contexto era de uma escuta ativa, oferecendo espaço para que elas falassem o que lhes angustiavam, especialmente sobre esses sentimentos de dor e desconforto que elas viviam. Neste relato de experiência descrito, tanto nos atendimentos em grupo como nos individuais, os espaços de escuta era recebido pelas mães como uma condição de apoio e continência psicológica, favorecendo uma reorganização dessas mães frente à situação de dor. Vê-se a necessidade de estruturação de espaços de atendimento psicológico dentro de Unidades de Terapia Intensiva Neonatal, oferecendo acolhimento às mães de bebês prematuros.

 

ABSTRACT - The birth of a premature infant is an extremely painful experience for parents, since the expectations of parents and relatives are not met. Feelings of incompetence, frustration and guilt for not having given birth to her son dreamed intensely they are experienced by parents when the baby is hospitalized in an intensive care unit. This study was conducted by a psychologist in a Neonatal Intensive Care Unit of a hospital at Ribeirão Preto, and aimed to meet the mothers of these infants during hospitalization. It was performed in group and individual visits. The service in this context was an active listening, providing space for them to say what they troubled him, especially on those feelings of pain and discomfort that they lived. In this experience report described both in group treatments as in the individual spaces of listening was received by mothers as a condition of psychological support and continence, favoring a reorganization of these mothers face the pain situation. One sees the need to construct spaces of psychological care in the Neonatal Intensive Care Unit, providing care to mothers of premature babies.

Keywords: Intensive Care Units Neonatal; Mothers; Psychology

Palavras-chave


Unidade de Terapia Intensiva Neonatal; Mães; Psicologia

Texto completo:

PDF


Saúde & Transformação Social/Health & Social Change, ISSN 2178-7085, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.