Prazer e trabalho: um estudo sobre mulheres trabalhadoras rurais

Marcele Schreiner Tonet, Edna Linhares Garcia, Éboni Marília Reuter, Hildegard Hedwig Pohl

Resumo


A agricultura destaca-se como base da economia nacional, de modo que se torna relevante investigar a forma como o trabalho desse setor está implicado na produção de saúde e de adoecimento. Nessa perspectiva, ressaltamos a necessidade de produção de conhecimento especialmente quanto às mulheres trabalhadoras rurais, uma vez que sua importância não é devidamente reconhecida. Trata-se de uma abordagem que evidencia a relação entre o trabalho realizado por agricultoras e a produção de prazer e saúde vivenciados por essas mulheres no contexto rural. A partir de entrevistas realizadas com mulheres rurais que trabalham em pequenas propriedades familiares, localizadas em municípios da região central do Estado do Rio Grande do Sul, analisamos os sentidos produzidos acerca do trabalho que realizam, na perspectiva teórica de autores da Psicodinâmica do Trabalho. Foi possível identificar processos de saúde e estratégias defensivas utilizadas pelas trabalhadoras para evitar o sofrimento e buscar o prazer. Como resultado, constatamos que essas mulheres rurais transformam em prazer o sofrimento excessivo - inerente ao trabalho que realizam - quando conseguem expressar sua criatividade ou quando rompem com a divisão desigual no trabalho e quando obtêm reconhecimento da fundamental importância de sua participação no desenvolvimento do produto final das atividades.

Palavras-chave


Saúde; Mulheres; Trabalho

Texto completo:

PDF/A


Saúde & Transformação Social/Health & Social Change, ISSN 2178-7085, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.