Análise do curso de capacitação do Agente Comunitário de Saúde em relação à violência contra a mulher (Analysis of the Community Health Agent Training Course in relation to violence against women)

Jane Maria de Souza Philippi, Patrícia Alves de Souza, Mary Sassaqui

Resumo


A violência causa um impacto mundial e é considerada um problema de Saúde Pública. É definida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como o uso intencional de força física ou do poder, real ou em ameaça, contra si próprio, contra outra pessoa, ou contra um grupo ou uma comunidade que resulte ou tenha possibilidade de resultar em lesão, morte, dano psicológico, deficiência de desenvolvimento ou privação. São vários os tipos de violência (como doméstica, sexual, física, psicológica), já sendo considerada uma endemia que afeta a saúde individual e coletiva tanto no Brasil quanto em outros países. Por isso, a Casa da Mulher Catarina, um projeto de extensão da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) realizou capacitação para os 403 Agentes Comunitários de Saúde (ACS) das Unidades Locais de Saúde do Município de Florianópolis com o objetivo de sensibilizar esses profissionais sobre a violência contra a mulher. Foram realizadas seis capacitações com 12 horas de duração cada uma, sobre violência e saúde, violência e gênero, violência e mídia, violência e racismo e Lei da Maria da Penha. Os resultados, que foram avaliados por repetição, foram: os pontos que os ACS mais gostaram (todos os assuntos, sobre a Lei da Maria da Penha e os palestrantes), e os assuntos que menos gostaram (nenhum, local da capacitação e assunto sobre o racismo). As sugestões para melhorar o curso foram: nenhuma sugestão, o aumento de carga horária e local melhor estruturado. Os ACS mostraram interesse e desconhecimento sobre o assunto. Acredita-se que a capacitação atingiu as expectativas e que agora os agentes saibam identificar a violência contra a mulher na sua comunidade e sejam multiplicadores das ações contra a violência.

 

ABSTRACT – Violence has caused a worldwide impact, being considered a Public Health problem. The World Health Organization (WHO) defines violence as “the intentional use of physical force or power, threatened or actual, against oneself, another person or against a group or community, which either results in or has a high likelihood of resulting in injury, death, psychological harm, maldevelopment or deprivation”. There are several kinds of violence (domestic, sexual, etc) which make it an endemism that affects individual and collective health both in Brazil and other countries. Therefore, the Casa da Mulher Catarina (Catarina Women’s House), which is an extension Project of the Federal University of Santa Catarina (UFSC), organized a qualification course for 403 Community Health Agents (CHA) from Local Health Units of Florianopolis aiming to sensitize these professionals regarding violence against women. Six courses of 12 hours each were carried out to discuss violence, health, violence and gender, violence and media, violence and racism and the Maria da Penha Law. Results highlighted the most appreciated topics (subjects related to the Maria da Penha Law and lecturers) and the least appreciated ones (place of the course and topics about racism). This shows the qualification fulfilled participants´ expectations, and that they are now able to identify signs of violence against women in their groups and also multiply actions against other types of violence.

Keywords: Violence Against Women; Women's Rights, Unified Health System


Palavras-chave


Violência Contra a Mulher; Direitos da Mulher; Sistema Único de Saúde

Texto completo:

PDF


Saúde & Transformação Social/Health & Social Change, ISSN 2178-7085, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.