Sentimentos e percepções da enfermagem frente ao processo de morte e morrer: revisão integrativa.

Alice Bianca Santana Lima, Luana Pontes Oliveira, Karina Vanessa Chagas da Silva Sá, Elza Lima da Silva, Arlene de Jesus Mendes Caldas, Isaura Letícia Tavares Palmeira Rolim

Resumo


Este trabalho tem o objetivo de evidenciar os sentimentos e percepções dos acadêmicos e profissionais de enfermagem frente ao processo de morte e morrer. Trata-se de uma revisão integrativa da literatura científica nacional, realizada com artigos publicados nos periódicos da Base de Dados de Enfermagem, SciELO e Lilacs no período de 2000 a 2013 na língua portuguesa. Os resultados perpassam pela conceituação de morte na visão dos profissionais de enfermagem, onde há a presença dos elementos espirituais e religiosos; além disso, são expressos os sentimentos de medo, culpa, fracasso e negação dos profissionais em relação ao processo de morrer e morrer; as situações agravantes que acentuam a culpa e a tristeza dos últimos; como eles lidam com esses sentimento, como foi visualizado a negação e qual é a problemática desse processo. 

 

Abstract: In order to explore the universe of violence dynamics against the elderly, this study aimed to conduct a meta-synthesis research about qualitative scientific articles from the last 20 years about the profile of the aggressor and the abused elderly as well as the conceptions that older people have about abuse. This study was initiated by the search for articles published in journals indexed in the databases LILACS, SciELO, PubMed and PsycINFO accessed in 2015. The descriptors chosen to conduct the search in LILACS and SciELO were "elder mistreatment" and in PubMed and PsycINFO databases were "elder abuse". Among all the databases 2523 articles were found. After using the inclusion and exclusion criteria, 8 articles were selected. It was found that qualitative research on the topic of violence against the elderly are scarce both in national and international literature, especially when compared to quantitative research. Some issues are worth mentioning because they are different than generally is found in literature. One of these concerns men, who get more likely to suffer some form of violence when they become widowers. Another relevant point is the issue of culture influence on violence normalization, which is present in the daily lives of everybody through disrespect and devaluation of the elderly, once they are considered inefficient and unnecessary to society.

Keywords: Violence, Domestic Violence, Elder Abuse.


Palavras-chave


Morte; Enfermagem; Atitude frente à morte; Cuidados de enfermagem

Texto completo:

PDF/A

Referências


Silva LCSP, Valença CN, Germano RM. Estudo fenomenológico sobre a vivência da morte em uma unidade de terapia intensiva neonatal. Rev. bras. de Enferm. 2010, 63(5):770-74.

Gutierrez BAO, Ciampone, MHT. O processo de morrer e a morte no enfoque dos profissionais de enfermagem de UTIs. Rev. Esc. Enferm. 2007, 41(4): 660-67.

Dias MV, et al. Formação do enfermeiro em relação ao processo de morte-morrer: percepções à luz do pensamento complexo. Revista Gaúcha de Enferm. 2014, 35 (4): 79-85.

Salimena AMO, et al. O significado da morte do paciente cirúrgico no vivido da equipe de enfermagem. Rev. Enferm. UFSM 2014, 4(3), 645-51.

Mendes KDS, Silveira RCCP, Galvão CM. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto Context Enferm. 2008; 17 (4):758-64.

Whittemore R, Knafl K. The integrative review: updated methodology. J Adv Nurs. 2005, 52(5): 546-53.

Fernandes PV, Iglesias A, Avellar, LZ. O técnico de enfermagem diante da morte: concepções de morte para técnicos de enfermagem em oncologia e suas implicações na rotina de trabalho e na vida cotidiana. Psicologia: Teoria e Prática 2009, 11(1): 142-52.

Gadamer, Hans-Georg. A experiência da morte. 2° ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011. p. 68-76.

Brêtas JR da S, Oliveira JR, Yamaguti L. Reflexões de estudantes de enfermagem sobre morte e o morrer. Rev. Esc. Enferm 2006; 40(4): 477-83.

Sousa DM, et al. A vivência da enfermeira no processo de morte e morrer dos pacientes oncológicos. Texto Context Enferm. 2009, 18(1): 41-7.

Lima MGR, Nietsche E A, Teixeira JA. Reflexos da formação acadêmica na percepção do morrer e da morte por enfermeiros. Rev. Eletr. Enf. 2012, 14(1), 181-8. Disponível em: https://www.fen.ufg.br/fen_revista/v14/n1/pdf/v14n1a21.pdf. Acesso em: 15.04.2014.

Kuhn T, et al .Vivências e sentimentos de profissionais de enfermagem nos cuidados ao paciente sem vida. Rev. bras. enferm [online] 2011, 64 (6): 1075-81. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71672011000600013. Acesso em: 07.04.2014.

Mota MS, et al. Reações e sentimentos de profissionais da enfermagem frente à morte dos pacientes sob seus cuidados. Rev. Gaúcha de Enferm. 2011, 32 (1): 129-135.




Saúde & Transformação Social/Health & Social Change, ISSN 2178-7085, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.