Uso e Necessidade de Prótese Dentária no Brasil: avanços, perspectivas e desafios

Claudia Flemming Colussi, Franciny Scharf Patel

Resumo


Objetivo: Analisar os dados do Uso e Necessidade de Prótese no Brasil, comparando os dois últimos levantamentos epidemiológicos nacionais, fazendo uma relação com as políticas públicas instituídas nesse período. Métodos: Estudo transversal descritivo com análise dos bancos de dados secundários e dos relatórios dos Levantamentos Epidemiológicos em Saúde Bucal - SB Brasil 2003 e 2010. Foram analisados os dados do Uso e Necessidade de Prótese em adolescentes, adultos e idosos. Resultados e discussão: No Brasil, o uso de próteses por adolescentes aumentou no período investigado, em adultos diminuiu cerca de 30% tanto para o arco superior como para o inferior, com variações entre as regiões, e nos idosos houve aumento da utilização, mas em menores proporções. Houve redução na necessidade de próteses nos dois arcos para a faixa etária dos adolescentes, nos adultos aumentou a necessidade de próteses na arcada superior e reduziu na arcada inferior. Nos idosos foi constatado um aumento na necessidade de prótese nos dois arcos. Quanto à necessidade de prótese percebida pelos entrevistados, em comparação com a necessidade de prótese normativa, observou-se que do total de pessoas que necessitavam de prótese de acordo com o índice (n = 10.412), 56,6% achavam que precisavam e 43,4% achavam que não precisavam. Na situação inversa, do total de pessoas que não necessitavam de prótese de acordo com o índice (n=7044), 93,9% concordavam que não precisavam, enquanto apenas 6,1% achavam que precisavam. Conclusões: Mesmo com o cenário nacional de ampliação da atenção secundária a partir de incentivos financeiros aos municípios para implantação dos Centros de Especialidades Odontológicas e Laboratórios Regionais de Prótese Dentária, o déficit histórico na oferta de tratamento reabilitador ainda se reflete nos índices de uso e necessidade de prótese, com desigualdades regionais marcantes.

 

Abstract: Aim: Analyze the data regarding Prosthesis in Brazil Use and Need, comparing the last epidemiologic mapping, making a relation between the public politics estableshed in this period to emprove the access to services of oral health. Methods: Cross study described with the analysis of secondary database and reports from the Epidemiologic Survey in Oral Health – SB Brazil 2003 and 2010. The Prosthesis Use and Need in all age groups was investigated in national raises. DATASUS (CNES, SIA) database was also analyzed. Results and discussions: The use of prosthesis in teenagers has raised over the investigated period, in adults the number has decreased in 30% both for the upper and lower arc, with variations between the areas, and in elderly the number has raised, but in smaller proportions. The prosthesis need was reduced on both arcs for teenagers, on adults, the prosthesis need on the upper arc has raised and it has reduced on the lower. For the elderly, it was stated a raise on both arcs need. According to prosthesis need, realized by the interviewed, in compeer to normative prosthesis need (epidemiologic index), it was observed that the total number of people who needed prosthesis, according to the index, 56,6% thought that needed, and 43,4% thought that did not. On the opposite situation, from the number of people who did not need prosthesis according to the index, 93,9% agreed that they did not need. Conclusion: Even with the national scenario regarding the secondary attention from financial stimuli to the city councils to implement Odontology Specialty Centers and Dental Prosthesis Regional Laboratories, the deficit on rehabilitating treatment still reflects the indexes prosthesis use and need, with high regional differences.

Keywords: Dental Prosthesis, Dental Health Surveys, Epidemiology.


Palavras-chave


Prótese dentária; Levantamentos de Saúde Bucal; Epidemiologia

Texto completo:

PDF/A

Referências


Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Projeto SB Brasil 2010. Condições de saúde bucal da população brasileira 2010: resultados principais. Brasília: Ministério da Saúde; 2011.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Coordenação de Saúde Bucal. Diretrizes da Política Nacional de Saúde Bucal. Brasília: Ministério da Saúde; 2004.

Davoglio RS, et al. Fatores associados a hábitos de saúde bucal e utilização de serviços odontológicos entre adolescentes. Cad. saúde pública 2009; 25(3): 655-67.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Projeto SB Brasil 2003. Condições de saúde bucal da população brasileira 2002-2003: resultados principais. Brasília: Ministério da Saúde; 2004.

Mallmann FH, Toassi RFC, Abegg C. Perfil epidemiológico do uso e necessidade de prótese dentária em indivíduos de 50-74 anos de idade, residentes em três 'Distritos Sanitários' de Porto Alegre, Estado do Rio Grande do Sul, Brasil, em 2008. Epidemiol. Serv. Saúde 2012; 21(1):79-88.

Venâncio GN, et al. Uso e necessidade de prótese em idosos da região Norte do Brasil: Estudo reflexivo dos resultados do Projeto Saúde Bucal Brasil 2003 e 2010. Saúde transform. soc. 2013; 4(4):78-82.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Departamento de Atenção Básica. Área Técnica de Saúde Bucal. Projeto SB2000: condições de saúde bucal da população brasileira no ano 2000: manual do examinador. Brasília: Ministério da Saúde, 2001.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Coordenação Nacional de Saúde Bucal. Projeto SB Brasil 2010: manual da equipe de campo. Brasília: Ministério da Saúde, 2009.

Crispim AJ, Saupe R, Boing AF. Perfil epidemiológico do uso e necessidade de prótese e de alterações de tecidos moles bucais em idosos de uma comunidade de Itajaí-SC. Arq Catarin Med 2009; 38(2):53-7.

Colussi CF, Freitas SFT, Calvo MCM. The prosthetic need WHO index: a comparison between self‐perception and professional assessment in an elderly population. Gerodontology 2009; 26(3):187-92.

Costa SM, et al. Desigualdades na distribuição da cárie dentária no Brasil: uma abordagem bioética. Ciênc. Saúde Coletiva 2013; 18(2):461-70.

Saliba NA, et al. Saúde Bucal no Brasil: uma nova política de enfrentamento para a realidade nacional. ROBRAC. 2010; 18(48):62-6.




Saúde & Transformação Social/Health & Social Change, ISSN 2178-7085, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.