Vivências e Estágios na Realidade do Sistema Único de Saúde (VER-SUS) como agente promotor de mudanças na formação de graduação e nas práticas profissionais

Marcos Aguiar Ribeiro, Ana Suelen Pedroza Cavalcante, Fiama Kécia Silveira Teófilo, Izabelle Mont’Alverne Napoleão Albuquerque, Maristela Inês Osawa Vasconcelos

Resumo


O VER-SUS, projeto desenvolvido pelo Ministério da Saúde em conjunto com outras entidades da sociedade, tem o escopo de discutir e almejar uma formação de qualidade para o SUS utilizando práticas inovadoras de educação na área da saúde. Assim, este estudo tem como objetivo relatar uma experiência de estágio interdisciplinar de vivências por meio do Projeto VER-SUS em Sobral - CE. O VER-SUS, suscita um espaço de construção de saberes, que permite a troca de experiências entre estudantes de diferentes cursos, otimizando, o valor de cada profissão, usuário e gestor dos serviços de saúde. Assim, amplia-se o olhar do acadêmico em relação à saúde e sua formação, instigando o protagonismo estudantil.

 

Abstract: The VER-SUS, a project developed by the Ministry of Health in conjunction with other entities of society, has the scope to discuss and crave quality training for the SUS using innovative education practices in healthcare. Thus, this study aims to describe an experience of interdisciplinary internship experiences through Project VER-SUS in Sobral - CE. The VER-SUS, raises an area of knowledge construction, which allows the exchange of experience among students from different courses, optimizing the value of each profession, user and manager of health services. Thus, we enlarge the look of academia in relation to health and their education, urging the student role.

Keywords: Unified Health System; Health Education; Internships; Professional Practice; Health Services.


Palavras-chave


Sistema Único de Saúde; Educação em Saúde; Estágios; Prática Profissional; Serviços de Saúde

Texto completo:

PDF/A

Referências


Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde (SGETS): políticas e ações. Brasília: Ministério da Saúde; 2012.

Brasil. Ministério da Saúde. Política de educação e desenvolvimento para o SUS: caminhos para a educação permanente em saúde: pólos de educação permanente em saúde. Brasília: Ministério da Saúde; 2004.

Brasil. Ministério da Saúde. VER-SUS Brasil Caderno de textos. Brasília: Ministério da Saúde; 2004.

Mendes FMS, Fonseca KA, Brasil JA, Dalbello-Araújo A. Ver–Sus: Relato de Vivências na Formação de Psicologia. Psicologia: Ciência e Profissão 2012; 32 (1): 174-187.

Canônico RP, Brêtas ACP. Significado do Programa Vivência e Estágios na Realidade do Sistema Único de Saúde para formação profissional na área de saúde. Acta Paul Enferm 2008; 21 (2): 256-61.

Bosi MLM, Paim JS. Graduação em Saúde Coletiva: limites e possibilidades como estratégia de formação profissional. Ciência & Saúde Coletiva, 2010; 15 (4): 2029-2038.

Pagani R, Andrade LOM. Preceptoria de Território, Novas Práticas e Saberes na Estratégia de Educação Permanente em Saúde da Família: o estudo do caso de Sobral, CE. Saúde Soc 2012; 21(1): 94-106.

Bezerra IMP, Oliveira AKS, Silva CC, Lima Neto EA, Silva ATMC. Velhas e novas formas de intervenção em saúde: os modelos assistenciais em análise. Saúde em Debate, 2011; 35 (89): 197-206.

Brasil. Ministério da Saúde. Coleção para entender a Gestão do SUS 2011. Brasília: CONASS; 2011.

Nogueira VMR, Mioto RCT. Desafios atuais do Sistema Único de Saúde – SUS e as exigências para os Assistentes Sociais. Serviço Social e Saúde: Formação e Trabalho Profissional 2006: 1-25.

Brasil. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate a Fome. Caderno Assistência Social. Brasília: Ministério do Desenvolvimento Social e Combate a Fome; 2011.

Gohn MG. Ações coletivas civis na atualidade: dos programas de responsabilidade/compromisso social às redes de movimentos sociais. Ciências Sociais Unisinos 2010; 46(1): 10-17.

Coelho JS. Construindo a Participação Social no SUS: um constante repensar em busca de equidade e transformação. Saúde Soc. 2012; 21(1): 138-151.

Longhi JC, Canton GAM. Reflexões sobre cidadania e os entraves para a participação popular no SUS. Physis - Saúde Coletiva 2011; 21(1): 15-30.

Brasil. Lei n. 8.142 de 28 de dezembro de 1990. Brasília: Ministério da Saúde; 1990.

Reis AC. (Tese). A dança da vida: a experiência estética da Biodança. Universidade de São Paulo, Instituto de Psicologia, São Paulo. 2012.

Pinho AMM, Castro GS, Ximenes VM, Moreira CP, Barreto GP. Psicologia Comunitária e Biodança: contribuições da categoria vivência. Aletheia 2009; 30: 27-38.

Ostetto LE. Para encantar, é preciso encantar-se: danças circulares na formação de professores. Cad. Cedes 2010; 30 (80): 40-55.

Brasil. Ministério da Saúde. Política Nacional de Educação Permanente em Saúde. Brasília: Ministério da Saúde; 2009.




Saúde & Transformação Social/Health & Social Change, ISSN 2178-7085, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.