Caracterização das queixas de saúde mental e ações dos profissionais da ESF em uma UBS de Itajaí

Inajara Carla Oliveira, Ildamar Pereira, Bianca Heinen Toillier, Graciele Pessôa E Silva, Marriety Cristine Braz Lopes, Alessandra Monestel, Fabiano Costella Pinheiro, Julia Cristina Pivotto, Marcos Ribeiro, Rhayssa Duarte Soccas

Resumo


Um dos desafios da Atenção Básica de Saúde é fomentar ações em saúde mental, identificando, tratando e acompanhando as queixas, o que está assegurado pelos princípios e diretrizes do Sistema Único de Saúde (SUS). Para identificar como isso vem acontecendo na prática, realizou-se uma pesquisa qualitativa em uma UBS que tem vinculo com o Programa de Educação pelo Trabalho para Saúde (PET) Multiprofissional da Universidade do Vale do Itajaí – UNIVALI. Foi utilizado um questionário composto pelas seguintes perguntas consideradas para o estudo: Quais as queixas emocionais relatadas com maior frequência pelos usuários da UBS? E como essas queixas são tratadas pelas equipes da UBS? A amostra da pesquisa foi composta por 20 profissionais da Estrategia Saúde da Familia (ESF) entre eles médicos, enfermeiros, agentes comunitários de saúde, técnicos de enfermagem, dentista e técnica de saúde bucal. Os dados foram categorizados na primeira pergunta em queixas de humor e queixas psicossociais e na segunda as falas foram categorizadas de acordo com os conceitos dos principios do SUS. Com esse estudo ficou evidente que as demandas de saúde mental na unidade são muito frequentes e relacionam-se com o contexto social dos usuários. Em contrapartida os profissionais sentem-se inseguros para lidar com essa demanda pela falta de matriciamento e formação continuada, o que justifica a tendência a encaminhar para os serviços de referencia do município. Outro dado significativo é que os profissionais realizam ações de promoção em saúde mental e não as reconhecem como tal, e tendem a considerar que somente os trabalhos desenvolvidos com grupos de pessoas adoecidas sejam ações desta esfera.

 

Abstract: One of the challenges of the Basic Health is to promote actions in mental health, identifying, treating and following up on complaints, what in fact is assured by the principles and guidelines of the Unified Health System (UHS). In order to identify the way this is happening in practice, we carried out a qualitative search in a Basic Health Unit which has link with the Education Program at Work for Multidisciplinary Health (PET) at the University of Vale do Itajaí - UNIVALI. The following set of questions were raised for the study: What emotional complaints were more frequently reported by users from BHU? And how were these complaints treated by the BHU teams? The study sample was composed by 20 professionals from the Family Health Strategy (FHS), they were doctors, nurses, community health workers, nursing technicians, dentists and oral health technicians. The data were categorized according to the first question, complaints of mood and psychosocial complaints, and as for the second question, the complaints were categorized according to the UHS concepts of the principles .It was clear that after this study the demands of mental health in the unit are very frequents and are related to the social context of the users. On the other hand because of the lack of matricial and continuing education professionals feel insecure to handle that demand, and it explains the tendency to send the users to the reference services of the municipality. Another significant issue is that professionals perform actions to promote mental health but do not recognize them as such, and tend to consider actions of this field only the work performed with groups of sick people.

Keywords: Mental Health; Family Health Strategy; Complaints of Humor; Psychosocial Complaints.

 

 


Palavras-chave


Saúde; Saúde Coletiva; Atenção Primária; Métodologia Qualitativa; Sistema Único de Saúde; Psicologia

Texto completo:

PDF/A


Saúde & Transformação Social/Health & Social Change, ISSN 2178-7085, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.