O discurso e a prática de médicos sobre Direitos Reprodutivos [The speech and the practical one of the doctors on Reproductive Right]

Sheila Rubia Lindner, Elza Berger Salema Coelho, Fátima Büchele

Resumo


Este artigo objetiva investigar o conhecimento e a prática dos profissionais médicos envolvidos na atenção à saúde da mulher sobre a concepção de direitos reprodutivos, tendo como foco o Planejamento Familiar. Desenvolvemos uma pesquisa descritiva com abordagem qualitativa, e como método de análise, o Discurso do Sujeito Coletivo proposto por Lefévre (2003). Evidenciamos a partir desse discurso médico que em relação ao Planejamento Familiar ocorre uma distribuição de anticonceptivos seguida exclusivamente de uma orientação desse método, prejudicando o direito à escolha, sua autonomia, marginalizando-as em relação a sua integralidade em saúde. Para que a assistência integral seja garantida, o compromisso do profissional deve ultrapassar a consulta e a demanda espontânea, comprometendo-se em garantir o que é preconizado, fazendo valer a Lei do Planejamento Familiar. Isso evidencia uma dissonância entre o discurso e o que é praticado nas unidades de saúde pelos profissionais, ou seja,  um trabalho baseado na demanda, que não reflete o “fazer” e não busca  a autonomia desta enquanto sujeito capaz de escolher e decidir por si mesmo.

 

ABSTRACT - This article aims to investigate the knowledge and practice of medical professionals involved in the health of the woman on the concept of reproductive rights, focusing on Family Planning. Develops descriptive qualitative approach, and as a method of analysis, the Collective Subject Discourse proposed by Lefevre (2003). It was evident from the medical discourse, which is related to the distribution of family planning contraceptive guidance then only this method, undermining the right to choice and autonomy of women, marginalizing them in their entirety in relation to health. For full assistance is guaranteed, the commitment of the professional consultation and exceed spontaneous, pledging to ensure that it is recognized in enforcing the Law of Family Planning. This highlights the dissonance between rhetoric and what is practiced in health facilities by professionals, or work based on demand, which does not reflect the "doing" and not seek to empower women as subjects able to choose and decide for yourself same.

Keywords: Reproductive Rights; Familiar Planning; Collective Subject Discourse.

 


Palavras-chave


Direitos Reprodutivos; Planejamento Familiar; Saúde da Mulher.

Texto completo:

PDF/A


Saúde & Transformação Social/Health & Social Change, ISSN 2178-7085, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.