Malaria e ambiente: a percepção de uma comunidade amazônica [Malaria and environment: an amazonian community’s perception]

Ana Katly Martins Gualberto, Maria Jacirema Ferreira Goncalves

Resumo


Com o objetivo de identificar a percepção dos moradores de uma comunidade da periferia da cidade de Manaus-Amazonas, sobre malária e sua relação com o ambiente, enfatizando o processo de ocupação da área, as alterações ambientais e o conhecimento sobre a doença, realizou-se esta pesquisa qualitativa de caráter exploratório. A coleta dos dados utilizou observação não-participante e entrevistas aos moradores. A análise ocorreu pela técnica de análise de conteúdo, segundo as categorias emergentes do diálogo. Os resultados foram divididos em 3 categorias: conhecimento sobre a doença; processo de ocupação da comunidade; e, ações de controle da malária. Observou-se déficit no conhecimento dos moradores acerca da dinâmica da doença; desde o início da comunidade as ações de intervenção no habitat acarretaram desequilíbrio e aumento da malária, principalmente no início da ocupação da área. A localidade é carente de serviços públicos, contribuindo para a permanência da malária na área, pois os moradores são obrigados a adentrar a mata para encontrar água em canais adjacentes, o que os expõem ao vetor da malária. Apesar das ações de controle serem realizadas pelo serviço de saúde, os moradores não aderem as medidas preventivas. Detectou-se equívoco de malária com dengue, talvez isto se explique pela crença dos moradores de que a doença seja causada pela poluição e lixo. Os achados apontam para a necessidade de se compreender a forma pela qual se processam as ocupações, bem como a percepção dos moradores sobre a relação entre malária e ambiente, a fim de que as ações de controle da doença levem em conta o contexto ambiental no qual o indivíduo está inserido, suas crenças, percepções e vivências

 

ABSTRACT - In order to identify the perceptions of the Manaus-Amazonas’ community situated at the periphery of the city, about malaria and their relationship with the environment, emphasizing the area occupation process, the environmental changes and the knowledge about the disease, it was made this exploratory and qualitative research. For the data collection we used non-participant observation and interviews with residents. We took the technique of content analysis, according to emerging categories of dialogue. The results were divided into three categories: knowledge about the disease; the process of occupation of the community; and the efforts to control malaria. Deficit was observed in residents' knowledge about the dynamics of the disease, since the early community intervention actions resulted in habitat imbalance and increase in malaria, especially in the beginning of the area occupation. The community needs public services, which their absence are contributing to the persistence of malaria in the area, because this way, the residents are forced to go into the forest to find water in adjacent streams, which expose them to the malaria vector. Despite the control measures being undertaken by the health service, the residents do not adhere to preventive measures. It turned out misunderstanding of malaria with dengue fever, this may be explained by the belief of the inhabitants that the disease is caused by the pollution and the waste. The relationship of malaria to the environment is not clearly perceived by the community. It turned out that even people have passed several times by illness from malaria, there is need for information to be properly understood about the basic principles of disease involving the parasite, vector and host.

Keywords: Malaria; Environment; Perception; Environmental Health

Palavras-chave


Malária; Ambiente; Percepção; Saúde ambiental

Texto completo:

PDF/A


Saúde & Transformação Social/Health & Social Change, ISSN 2178-7085, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.