O PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM À LUZ DOS PRECEITOS DA GEOGRAFIA HUMANISTA – SABERES DOS PROFESSORES: UM ESTUDO EM FORMOSA-GO

Rodrigo Capelle Suess, Cristina Maria Costa Leite

Resumo


O conhecimento geográfico escolar diferencia-se do conhecimento geográfico científico por condições de produção, organização e finalidade, portanto, possui um caminho próprio. Tanto na sistematização de conteúdos, habilidades e competências, como no modo de ensinar e aprender seus conteúdos, diversos horizontes do pensamento geográfico influenciam o ensino da Geografia Escolar. Uma delas, a Geografia Humanista, horizonte que decorre, principalmente, da fenomenologia, destaca-se pela ênfase dada aos sentidos humanos e seu universo vivido, o que pode contribuir para o liame de conhecimentos geográficos a gênese de uma atitude humanista. Nesse contexto, o objetivo geral dessa pesquisa é conhecer e analisar quais são os conhecimentos dos professores a respeito da Geografia Humanista no município de Formosa-GO. Para isso, foram selecionados um professor da área urbana e uma professora da área rural. A problemática que orientou esta investigação diz respeito à identificação dos conhecimentos que os professores têm a respeito da Geografia Humanista. A metodologia utilizada foi de base qualitativa, a partir de entrevistas não estruturadas guiadas realizadas com os professores de Geografia. Os resultados obtidos revelaram que esses profissionais apresentam uma lacuna, no que se refere à teorização sobre a Geografia Humanista, decorrente de uma formação acadêmica inicial e continuada insuficientes e, também, pela ausência de interesse. Esses e outros resultados evidenciam a necessidade de uma formação em Geografia, que considere e valorize a Geografia Humanista, inclusive pelo seu potencial relativo às questões de ensino/aprendizagem, como fundamento metodológico para a significação dos conteúdos em geografia, de um lado, e construção do conhecimento geográfico, de outro.     O conhecimento geográfico escolar diferencia-se do conhecimento geográfico científico por condições de produção, organização e finalidade, portanto, possui um caminho próprio. Tanto na sistematização de conteúdos, habilidades e competências, como no modo de ensinar e aprender seus conteúdos, diversos horizontes do pensamento geográfico influenciam o ensino da Geografia Escolar. Uma delas, a Geografia Humanista, horizonte que decorre, principalmente, da fenomenologia, destaca-se pela ênfase dada aos sentidos humanos e seu universo vivido, o que pode contribuir para o liame de conhecimentos geográficos a gênese de uma atitude humanista. Nesse contexto, o objetivo geral dessa pesquisa é conhecer e analisar quais são os conhecimentos dos professores a respeito da Geografia Humanista no município de Formosa-GO. Para isso, foram selecionados um professor da área urbana e uma professora da área rural. A problemática que orientou esta investigação diz respeito à identificação dos conhecimentos que os professores têm a respeito da Geografia Humanista. A metodologia utilizada foi de base qualitativa, a partir de entrevistas não estruturadas guiadas realizadas com os professores de Geografia. Os resultados obtidos revelaram que esses profissionais apresentam uma lacuna, no que se refere à teorização sobre a Geografia Humanista, decorrente de uma formação acadêmica inicial e continuada insuficientes e, também, pela ausência de interesse. Esses e outros resultados evidenciam a necessidade de uma formação em Geografia, que considere e valorize a Geografia Humanista, inclusive pelo seu potencial relativo às questões de ensino/aprendizagem, como fundamento metodológico para a significação dos conteúdos em geografia, de um lado, e construção do conhecimento geográfico, de outro.

   


Palavras-chave


Geografia Escolar; Geografia Humanista; Ensino-aprendizagem; Formação de professores.

Texto completo:

PDF/A

Referências


ARANHA, Antônia Vitória Soares; SOUZA, João Valdir Alves. As licenciaturas na atualidade: nova crise? Educar em Revista, n. 50, p. 69-86, out./dez. 2013.

ARROYO, Miguel. Currículo, território em disputa. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013.

BAILLY, Antoine. L'humanisme em géographie réflexions et principes. In: BAILLY, Antoine; SCARIATI, Renato. L'humanisme en Géographie. Paris: Anthropos, p. 9-11, 1990.

BAILLY, Antoine; SCARIATI, Renato. L'humanisme en géographie. In: BAILLY, Antoine. Les concepts de la géographie humanine. Paris: Armand Colin, p.213-222, 2001.

BRASIL. Secretaria de Educação básica. Guia de livros didáticos PNLD 2017: Geografia - anos finais do ensino fundamental. Brasília: MEC, 2017.

BUTTIMER. Anne. Aprendendo o dinamismo do mundo vivido. In: CHRISTOFOLETTI, Antônio (org.). Perspectivas da Geografia. São Paulo: Difel, p. 165-193, 1982.

BRZEZINSKI, Iria. Pedagogia, pedagogos e formmação de professores: busca e movimento. Camponas, SP: Papirus, 1996.

CAVALCANTI, Lana de Souza. Geografia, escola e construção de conhecimentos. Campinas-SP: Papirus, 1998.

________________. O ensino de Geografia na escola. Campinas, SP: Papirus, 2012.

CLAVAL, Paul. Campos e perspectivas da Geografia Cultural. In: CORRÊA, Roberto Lobato; ROSENDAHL, Zeny (org.). Geografia Cultural: um século (3). Rio de Janeiro: EdUERJ, p. 134-196, 2002.

ENTRIKIN, Jhon Nicholas. The Betweenness of Place: Towards a Geography of Modernity. Baltimore, Maryland: Johns Hopkins University Press, 1991.

FEITOSA, Raphael Alves; BODIÃO, Idevaldo da Silva. As teorias sobre o "professor reflexivo" e suas possibilidades para a formação docente na área de Ciências da Natureza. Revista Entreideias, Salvador, v. 4, n. 1, p. 185-199, jan./jun. 2015.

GÁUDIO, Rogata Soares del; BRAGA, Rosalina Batista. A Geografia, a educação e a construção da ideologia nacional. Terra Livre, Presidente Prudente, Ano 23, v. 1, n. 28, p. 177-196, jan./jun. 2007.

GOMES, Paulo Cesar da Costa. Geografia e modernidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2012.

GREGORY, Derek (org.). The Dictionary of Human Geography. Oxford: Blackwell Publishers, 2009.

HOLZER, Werther. A Geografia Humanista Anglo-Saxônica - de suas origens aos anos 90. Revista Brasileira de Geografia, Rio de Janeiro, ano 1, n. 1, p. 109-146, 1993.

LIBÂNEO, José Carlos. Democratização da Escola Pública – a pedagogia crítico-social dos conteúdos. São Paulo: Loyola, 1992.

_______________. Didática, São Paulo: Cortez. 1994.

MARANDOLA, JR. Eduardo. Humanismo e a abordagem cultural em Geografia. Geografia, Rio Claro, v. 30, n. 3, p. 393-419, set./dez. 2005.

MARANDOLA JR., Eduardo; GRATÃO, Lúcia Helena Batista. Do sonho à memória: Lívia de Oliveira e a Geografia Humanista no Brasil. Geografia, Londrina, v. 12, n. 2, jul./dez. 2003.

_______________. Fenomenologia e pós-fenomenologia: alternâncias e projeções do fazer geográfico humanista na geografia contemporânea. Geograficidade, Niterói, RJ, v. 3, n. 2, p. 49-69, Inverno 2013.

MELLO, J. B. F. A Geografia Humanística: a perspectiva da experiência vivida e uma crítica radical ao positivismo. Revista Brasileira de Geografia. Fundação Instituto Brasileiro de Geografia Estatística – IBGE. Rio de Janeiro, v. 52, n. 4, p. 91-114, 1990.

MOREIRA, Ruy. Para onde vai o pensamento geográfico? Por uma epistemologia crítica. São Paulo: Contexto: 2014.

PIMENTA, Selma Garrido. O Estágio na formação de professores: unidade teoria e prática. São Paulo: Editora Cortez, 2006.

PONTUSCHKA, Nídia Nacib. Políticas Públicas na trajetória do ensino e da formação dos professores: a construção de conhecimentos. In: ALBUQUERQUE, Maria Adailza Martins de; FERREIRA, Joseane Abílio de Sousa (Orgs). Formação, pesquisas e práticas docentes: reformas curriculares em questão. João Pessoa, Ed Mídia, p.433-453, 2013.

SAVIANI, Dermeval. Formação de professores: aspectos históricos e teóricos do probelma no contexto brasileiro. Revista Brasileira de Educação, v. 14 n. 40 jan./abr. 2009.

SOUZA, Francilane. Eulália.; FERNANDES, Bernardo Mançano. O papel da geografia escolar para o fortalecimento do campesinato no município da Cidade de Goiás. In: ENCONTRO DE GEÓGRAFOS DA AMÉRICA LATINA, 12., 2009, Montevidéu, Uruguai. Anais... Montevidéu: EGAL, 2009.

TUAN, Yi-Fu. Geography, Phenomenology and Study of Human Nature. The Canadian Geographer, v. 15, n. 3, p. 181-192, 1971.

_______________. Espaço e Lugar: a perspectiva da experiência. Tradução de Lívia de Oliveira. Londrina, PR: Eduel, 2013.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 PESQUISAR – Revista de Estudos e Pesquisas em Ensino de Geografia

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Pesquisar - Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, ISSNe 2359-1870

v. 4, n. 6, nov. 2017.