APONTAMENTOS SOBRE A RECENTE REDUÇÃO DA DESIGUALDADE DA RENDA PESSOAL NO BRASIL

Juliana Santos, Fernando Augusto Mansor de Mattos, João Hallak Neto

Resumo


O objetivo do artigo é mostrar como as transformações ocorridas na economia brasileira ao longo do período 2002-2014 impactaram sobre o perfil da distribuição pessoal da renda no Brasil. Para avaliar o efeito da política econômica e da política social sobre a desigualdade econômica brasileira, foram captados dados de rendimentos pessoais segundo diversas fontes de renda e também informações sobre a evolução da distribuição funcional da renda. Os resultados indicaram que, entre 2002 e 2014, houve uma importante redução da desigualdade pessoal da renda e, para isso, tiveram papel decisivo tanto as melhorias ocorridas no mercado de trabalho (geração de empregos formais que levaram a uma situação próxima ao pleno emprego), como a adoção de políticas sociais e também a recuperação do valor real do salário mínimo. Os indicadores de distribuição funcional da renda refletem a expansão do emprego e da massa salarial no período, e corroboram os indicadores verificados na distribuição pessoal da renda. O artigo mostra também que, entre 2014 e 12015, com a crise política e a retração econômica, já se mostravam nítidos alguns sinais de reversão da melhoria do perfil distributivo verificada nos anos anteriores.

Palavras-chave


Desigualdade de renda no Brasil; desigualdade econômica no Brasil; distribuição pessoal da renda; distribuição funcional da renda.

Texto completo:

PDF/A

Referências


ATKINSON, A. B. Desigualdade: o que pode ser feito? São Paulo: Leya, 2015.

____________. Bringing Income distribution in from the cold. The Economic Journal, Vol. 107, No. 441 (Mar., 1997), pp. 297-321.

____________. Factor Shares: the principal problem of political economy? Oxford Reviewof Economic Policy; Volume 25; Number 1; pp. 3-16; 2009.

BARBOSA FILHO, Fernando de Holanda. Mercado de trabalho no Brasil: passado, presente e futuro. In: BONELLI, Regis; VELOSO, Fernando (Org.). Panorama do mercado de trabalho no Brasil. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 2014. Cap. 2. p. 35-54.

BARROS, R.P., CARVALHO, M.; FRANCO, S. e MENDONÇA, R. Conseqüências e causas imediatas da queda recente da desigualdade da renda brasileira. Parcerias Estratégicas 22, Edição Especial, p. 89-119, jun. 2006; Texto para Discussão, n. 1201, IPEA, Rio de Janeiro, jul. 2006.

CARVALHO, Laura. Valsa Brasileira: do boom ao caos econômico. São Paulo: Todavia, 2018.

DEDECCA, C. S.; JUNGBLUTH, A.; TROVÃO, C. J. B. M. A queda recente da desigualdade: relevância e limites. Encontro nacional de economia da associação nacional dos centros de pós-graduação em economia, ANPEC, 2008.

DEDECCA, C. S. et al. Mudanças na Distribuição de Renda Individual e Familiar no Brasil. I Congresso da Associação Latino Americana de População, Alap, Caxambu, Minas Gerais. Set. 2004.

DEDECCA, Cláudio Salvatori. Desigualdade: mas de qual falamos? Campinas: Textos para Discussão. IE/Unicamp, Nº168, out-2009.

____________. A redução da desigualdade e seus desafios. Brasília: Texto para Discussão nº 2031, 2015.

GALBRAITH, James. Inequality: what everyone needs to know. Oxford: Oxford University Press, 2016.

GLYN, A. Functional distribution and inequality. In: SALVAREDA, W.; NOLAN, B.; SMEEDING, T.M. (editors). The Oxford Handbook of the ECONOMIC INEQUALITY. Oxford: Oxford University Press, 2009.

HALLAK NETO, João. A Distribuição Funcional da Renda e a Economia não Observada no âmbito do Sistema de Contas Nacionais do Brasil. 2013. 167 f. Tese (Doutorado) - Curso de Economia, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2013.

HALLAK NETO, J.; SABOIA, J.. Distribuição funcional da renda no Brasil: análise dos resultados recentes e estimação da conta da renda. Econ. Apl., Ribeirão Preto, v. 18, n. 3, p. 483-513, Sept. 2014

HOFFMANN, Rodolfo. A Distribuição da Renda no Brasil no período de 1992-2001.Economia e Sociedade, 2(19), Campinas: Instituto de Economia da Unicamp; 2002.

_____________. Desigualdade e pobreza no Brasil no período 1979/97 e a influência da Inflação e do Salário Mínimo. Economia e Sociedade,11, Campinas: Instituto de Economia da Unicamp; 1998.

HOFFMANN, Rodolfo; NEY, Marlon Gomes. A recente queda da desigualdade de renda no Brasil: análise de dados da Pnad, do Censo Demográfico e das Contas Nacionais. Econômica, Rio de Janeiro, v. 10, n. 1, p.7-39, jun. 2008.

KEISTER, L.A. The One Percent. Annu. Rev. Sociol, 40, p.347–67, 2014.

KEISTER, L.A.; LEE, H.Y. The One Percent: Top Incomes and Wealth in Sociological Research. Social Currents 2014, v. 1(1) p. 13–24. The Southern Sociological Society, 2014.

KERSTENETZKY, Celia Lessa. Consumo social e crescimento redistributivo: Notas para se pensar um modelo de crescimento para o Brasil. Revista de Economia Política, OnLine, v. 36, n. 1, p.25-45, jan. 2018.

____________. O Estado do Bem-estar Social na Idade da Razão: a reinvenção do estado social no mundo contemporâneo. Rio de Janeiro: Campus/Elsevier, 2012.

KOPCZUK, W. What Do We Know about the Evolution of Top Wealth Shares in the United States? The Journal of Economic Perspectives, Vol. 29, No. 1 (Winter 2015), pp. 47-66. American Economic Association.

KRISTAL, Tali. Good Times, Bad Times: Postwar Labor’s Share of National Income in Capitalist Democracies. American Sociological Review, 75 (5); 2010.

LUCIO, Clemente Ganz. Empregos e salários: eixos de uma política de desenvolvimento no Brasil? In: BRESSER-PEREIRA, Luiz Carlos (Org.). Economia Brasileira na Encruzilhada. São Paulo: Fgv, 2006. Cap. 3. p. 53-82.

MATTOS, F. A. M.; LIMA, S. S. Apontamentos para o debate sobre pleno emprego no Brasil. Economia e Sociedade. Revista do Instituto de Economia da UNICAMP; vol. 24; n.2 (54); pp. 293-328; agosto de 2015.

MATTOS, Fernando Augusto Mansor de. Avanços e dificuldades para o mercado de trabalho. Estudos Avançados (85), v. 29, n. 85, set-dez, 2015.

_________. O debate sobre distribuição de renda ao longo do processo de desenvolvimento econômico do Brasil. Revista da ABET, v. 16, n. 1, Janeiro/Junho de 2017.

_________. Programas Sociais e redução da taxa de desemprego no Brasil até 2013. Eptic Online; v. 18; n.1, 2016.

SABOIA, João; HALLAK NETO, João. Salário mínimo e distribuição de renda no Brasil a partir dos anos 2000. Economia e Sociedade, Campinas, v. 27, n. 1 (62), p.265-285, jan. 2018. Trimestral. Disponível em: . Acesso em: 18 mar. 2018.

SOUEN, Jaqueline. A política do salário mínimo no Governo Lula. Dissertação de Mestrado. Campinas: IE/UNICAMP, 2013.

SOUZA, P. R. C.; BALTAR, P. E.A. Salário mínimo e taxa de salários no Brasil. Pesquisa e Planejamento Econômico, IPEA, Rio de Janeiro, v. 9, n.3, dez, 1979.

SOUZA, Paulo Renato Costa. A determinação dos salários e do emprego nas economias atrasadas. Tese de Doutoramento. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da UNICAMP; Campinas, 1980.

________. Os impasses atuais das políticas de emprego e de salário. In: BELLUZZO, L.G.M. e COUTINHO, R. (org.). Desenvolvimento Capitalista no Brasil – número 2 – ensaios sobre a crise. São Paulo: Ed. Brasiliense, 1983.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Rev. NECAT, ISSN 2317-8523, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.