CIDADE, ESTADO E SOCIEDADE CIVIL: REFLEXÕES SOBRE A PARTICIPAÇÃO POPULAR NO PLANEJAMENTO URBANO EM FLORIANÓPOLIS

João Luis Abrantes Bertoli

Resumo


Este trabalho busca analisar a relação entre Estado e sociedade civil, na (re)produção do espaço urbano de Florianópolis. Parte-se de uma análise dos recentes acontecimentos envolvendo o crescimento urbano e as disputas ocorridas em meio planos e projetos urbanísticos para ilha de Santa Catarina. Com especial ênfase para o Plano Diretor de Florianópolis, que ocorreu em um momento de crescente participação popular. O objetivo é analisar as disputas ocorridas no interior da sociedade civil florianopolitana e a repercussão no âmbito estatal, de maneira a desenvolver construtos teóricos que possam melhor entender o fenômeno da neoliberalização das cidades. Observa-se que o crescimento urbano de Florianópolis engendrou a emergência de empresas dos ramos do turismo e da construção civil – incluindo também o mercado imobiliário. Esses setores procuram articular-se com outras classes sociais a fim de barrar propostas de cunho popular, que ameaçam a hegemonia político-ideológica dos principais setores da cidade.

Palavras-chave


Estado; Sociedade civil; Florianópolis; Crescimento urbano; Participação popular;

Texto completo:

PDF/A

Referências


AGUIAR, André Ruas. Analisando o Floripa 2030: um modelo hegemônico de cidade. 2015. 229 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Programa de Pós-graduação em Urbanismo, História e Arquitetura da Cidade, Centro Tecnológico, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2015.

Castro, D. G. et al. Rio de Janeiro: proposições gerais em torno da Copa do Mundo 2014 e das Olimpíadas 2016 no Brasil. Rio de Janeiro: Ed. Letra Capital. 2015.

COUTINHO, Carlos Nelson. Dualidade de poderes: Estado, revolução e democracia na teoria marxista. São Paulo: Brasiliense, 1987.

DE LUCA FILHO, Vinícius. A geografia das feiras de negócios em Santa Catarina: origem, evolução e dinâmica das transformações. 2014. 426 f. Tese (doutorado) – Curso Programa de Pós-Graduação em Geografia, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2014.

DOS SANTOS, Samuel Steiner. Entre transformações e permanências: os institutos de planejamento urbano de Florianópolis e Joinville. 2015. 627 f. Tese (doutorado) – Curso Programa de Pós-Graduação em Geografia, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2015.

FLORIPAMANHÃ. Ata da Assembleia Geral Extraordinária e Ordinária da Associação Floripamanhã realizada no dia 08 de abril de 2010. In: ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA E ORDINÁRIA DA ASSOCIAÇÃO FLORIPAMANHÃ. 2010. S. n. Florianópolis. 2010.

FLORIPAMANHÃ. Florianópolis. Floripamanhã 10 anos: Para fazer do futuro de Floripa nosso melhor presente. S. n. Florianópolis. 2015.

______. Estudos sobre o Plano Diretor: Contribuições Técnicas para a Revisão do Projeto de Lei do PDP de Florianópolis. S. n., Florianópolis. 2012.

GRAMSCI, Antonio et al. A questão meridional. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

HARVEY, David. Do gerenciamento ao empresariamento: a transformação da administração urbana no capitalismo tardio. Espaço & Debates, v. 16, n. 39, p. 48-64, 1996.

ISHIDA, Américo. Por trás do Pano. IN: PERES, Arlis B. et al. Reconstruindo Paisagens: Desafios socioespaciais para a Grande Florianópolis. Florianópolis: Ed. UFSC, 2013. p. 30 – 32.

LABORATÓRIO DE ORIENTAÇÃO DA GÊNESE ORGANIZACIONAL. LOGO. Rota da Inovação venha inovar com Floripa: A cidade e a Marca. Revista nº 1. 2013.

LEFEBVRE, Henri. Espaço e política. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2008.

LINS, Hoyêdo Nunes. Cidades fractais: a Ilha da Magia e seus alquimistas. Pesquisa & Debate. São Paulo, Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Economia Política, v. 22, n. 1 (39), 2011.

LIPIETZ, Alain. O capital e seu espaço. São Paulo: Nobel, 1988.

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. Manifesto do Partido Comunista. São Paulo: Expressão Popular, 2008.

MATTOS, Carlos de. Globalización y metamorfosis metropolitana en América Latina: De la ciudad a lo urbano generalizado. Revista de Geografia Norte Grande, n. 47, p. 81-104, 2010.

OURIQUES, Helton Ricardo. Turismo em Florianópolis: uma crítica a "indústria pós-moderna". f. Dissertação (Mestrado) – Curso de mestrado em geografia, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 1996.

REIS, Almir Francisco. Ilha de Santa Catarina: permanências e transformações. Florianópolis: Editora UFSC. 2012.

RIZZO, Paulo Marcos Borges. O planejamento urbano no contexto da globalização: caso do plano diretor do Campeche em Florianópolis, SC. 2013. 331 f. Tese (Doutorado) – Curso Programa de Pós-Graduação em Geografia, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2013.

SILVA, Ludovico. A mais-valia ideológica. Florianópolis: Ed. Insular. 2013.

SUGAI, Maria Inês. As intervenções viárias e as transformações do espaço urbano: A via de contorno norte-Ilha. 1994. Dissertação (mestrado) - Universidade de São Paulo, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. Florianópolis. 1994.

______. Segregação Silenciosa: investimentos públicos e a dinâmica socioespacial na área conturbada de Florianópolis (1970 – 2000). Florianópolis: Ed. UFSC. 2015.

VAINER, Carlos B. Pátria, empresa e mercadoria: Notas sobre a estratégia discursiva do Planejamento Estratégico Urbano. In: ENCONTRO NACIONAL DA ANPUR, 8, 2013, Rio de Janeiro. Anais do VIII Encontro Nacional da ANPUR. Rio de Janeiro: ANPUR, 2013. p. 1-14.

VILLAÇA, Flávio. Crítica ao anteprojeto de lei do Plano Diretor de Florianópolis. In: PERES, Arlis B. et al. Reconstruindo Paisagens: Desafios socioespaciais para a Grande Florianópolis. Florianópolis: Ed. UFSC, 2013. p. 33 – 53.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Rev. NECAT, ISSN 2317-8523, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.