Sentidos produzidos: homens encarcerados por crimes sexuais contra criança e adolescente

Nádia de Melo Ferreira, Deise Maria do Nascimento

Resumo


O estudo verificou os sentidos que homens encarcerados pela prática de crimes sexuais contra criança e adolescente atribuem ao crime e a imputação que lhes foram dadas. Buscou-se: verificar a percepção destes sobre pedofilia e abuso, assim como identificar os sentidos acerca das práticas de crimes sexuais. O método configura-se como qualitativo, orientado para a produção de sentido, por meio da análise de práticas discursivas. Os resultados indicam que os participantes se referem à pedofilia e ao abuso sexual como um atributo do sujeito, uma desordem mental e perturbações espirituais. Quando se trata da imputação de prática de crimes sexuais, foi possível compreender que estes se consideram injustiçados e atribuem intenção de terceiros em prejudicá-los.
Quando reconhecem envolvimento com a vítima, afirmam que foi consentido. Foi possível verificar que estes percebem a violência que sofreram na infância como sendo parte de um processo educativo.


Palavras-chave


Produção de sentidos; Agressores sexuais; Crimes sexuais contra criança/adolescente.

Texto completo:

PDF/A

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Cadernos Brasileiros de Saúde Mental, ISSN 2595-2420, Florianópolis - Santa Catarina, Brasil. Todos os direitos reservados, 2018.