Relações entre racionalidade conservadora e pauperização do cuidado em CAPSad: um estudo de caso

Jeovane Gomes de Faria, Daniela Ribeiro Schneider

Resumo


As transformações no campo da saúde mental sustentaram-se no confronto de diferentes modelos de atenção, gerando embates entre distintas racionalidades acerca das ações em saúde. Objetivou-se, através de estudo descritivo-exploratório, compreender as racionalidades dos profissionais atuantes na Atenção Psicossocial aos usuários de drogas, a fim de analisar a qualificação do cuidado, através do estudo de caso de um CAPSad. Utilizou-se observação participante e entrevistas com dezesseis profissionais do serviço estudado. Foi realizada análise de conteúdo. Verificou-se a existência de contradições entre trajetórias e formações profissionais com as práticas e cuidados desenvolvidos dentro do CAPSad, com ações ainda baseadas em um modelo biomédico e moral, com pouco compromisso dos profissionais com as transformações necessárias ao campo. Sugere-se a retomada da supervisão clínico-institucional, com ações mais focadas no território e qualificação do cuidado, além das necessárias mudanças para a qualificação da formação profissional.


Palavras-chave


Racionalidades; Profissionais de saúde; Abuso de Drogas; Centro de Atenção Psicossocial.

Texto completo:

PDF/A

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Cadernos Brasileiros de Saúde Mental, ISSN 2595-2420, Florianópolis - Santa Catarina, Brasil. Todos os direitos reservados, 2018.