Do ninho do gozo ao ninho do cuidado: Corpo, teatro e saúde mental

Adriele Cardoso Sussuarana, Adriana Barbosa Ribeiro, Aleson Hernan Morais dos Santos

Resumo


A mudança de paradigma com a reforma psiquiátrica e a política de redução de danos ocorre na medida em que o cuidado não se concentra na busca pela cura ou pela estabilização do paciente, mas quando vai além e articula a problematização da criação de vida, da sociabilidade e da utilização dos espaços coletivos. Objetiva-se através deste trabalho expor um relato de experiência sobre a vivência em um grupo de teatro de usuários de um Centro de Atenção Psicossocial para Álcool e outras Drogas (CAPS-AD) na cidade de Macapá, capital do Amapá. Descreve-se de forma breve através de pesquisa qualitativa um recorte sobre como o teatro e práticas de sensibilização e expressão corporal podem denunciar as possíveis relações de poder inscritas no corpo de usuários que estão inseridos em contextos sociais distintos, podem ajudar a horizontalizar a relação entre técnico e usuário, bem como proporcionar a ressignificação de estigmas através do fortalecimento coletivo de subjetividades e apropriação do território. Trata-se de um recurso que contribui para a emancipação e construção de uma atenção em saúde coletiva que subverte o difícil contexto de efetivação da política de saúde mental no Estado do Amapá.

Palavras-chave


Saúde Mental; Atenção psicossocial; SUS; Reforma psiquiátrica.

Texto completo:

PDF/A

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Cadernos Brasileiros de Saúde Mental, ISSN 2595-2420, Florianópolis - Santa Catarina, Brasil. Todos os direitos reservados, 2018.