Os laços e nós de uma rede de atenção psicossocial

Ana Carolina Cerqueira Medrado, Maraíze Gomes Cruz, Juliana Jesus Baião, Milena de Almeida Souza, Patrícia Sodré Araújo

Resumo


O artigo tem como objetivo caracterizar a Rede de Atenção Psicossocial (RAPS) de um distrito sanitário de Salvador. Trabalho de metodologia qualitativa que utilizou entrevistas como técnica de produção de dados. Os informantes foram os profissionais da Atenção Básica e de dois tipos de Centro de Atenção Psicossocial (CAPS). Os dados foram analisados a partir da análise de conteúdo. Como resultados temos os Agentes Comunitários de Saúde e a equipe do Núcleo de Apoio à Saúde da Família como articuladores da rede, e o matriciamento e a apropriação do território como formas de consolidação da RAPS. Os empecilhos para um cuidado integral relacionam-se à estigmatização dos usuários dos CAPS. É preciso destacar também a falta de dispositivos preconizados pela RAPS, mantendo uma dependência ao hospital psiquiátrico, o que contraria o processo de Reforma Psiquiátrico brasileiro. O estudo aponta para a necessidade de ações de gestão que possam promover a articulação da rede, já que foi constatado que a RAPS estudada se caracteriza por elos frágeis e pela institucionalização do cuidado no CAPS.

Palavras-chave


Assistência à saúde; Atenção Primária à Saúde; Saúde mental; Integralidade em saúde; Estigma social.

Texto completo:

PDF/A

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Cadernos Brasileiros de Saúde Mental, ISSN 2595-2420, Florianópolis - Santa Catarina, Brasil. Todos os direitos reservados, 2018.