Trabalho e geração de renda como produção de cidadania na saúde mental: A experiência do Núcleo de Oficinas e Trabalho de Campinas

Fernanda Rodrigues Galves, Carolina Con Andrades Luiz, José Eduardo Peres Ramos Júnior, Kátia Liane Rodrigues Pinho

Resumo


Esse relato de experiência tem como objetivo apontar caminhos trilhados ao longo desses 25 anos de existência das oficinas de trabalho e geração de renda do Núcleo de Oficinas e Trabalho (NOT) no sentido da produção de cidadania dos usuários na saúde mental da rede de Campinas, SP. Tentaremos aprofundar algumas reflexões acerca de princípios e diretrizes que permeiam tanto a reforma psiquiátrica quanto a economia solidária no que diz respeito à construção de espaços mais democráticos de discussão que possibilitam a construção no cotidiano de trabalho, da contratualidade social, autonomia, e cidadania dos usuários. Discutiremos sobre o cotidiano nas oficinas e os dispositivos criados como alternativas de gestão democrática que aproximam da autogestão. São eles: as assembleias, rodas de conversa e a criação de um espaço intermediário que chamamos de “rodão”, propiciando a produção de cidadania dos envolvidos no processo. Deixaremos claro, ao longo do texto, os desafios e dificuldades enfrentados para trilhar esses caminhos, mas que são possíveis e importantes no que diz respeito ao protagonismo dos usuários.


Palavras-chave


Economia solidária; Geração de renda; Oficinas de trabalho; Reabilitação psicossocial; Saúde mental.

Texto completo:

PDF/A

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Cadernos Brasileiros de Saúde Mental, ISSN 2595-2420, Florianópolis - Santa Catarina, Brasil. Todos os direitos reservados, 2018.