A vida como obra de arte: práticas lúdicas e de expressão artística com usuários de instituição psiquiátrica

Luiza Maria de Assunção, Rosimár Alves Querino, Ailton de Souza Aragão, Luciana Cristina Caetano de Morais Silva, Nayara Paula Fernandes Martins Molina, Natália Fernandes Resende

Resumo


O artigo descreve e problematiza as experiências de extensão universitária em hospital psiquiátrico filantrópico conveniado ao Sistema Único de Saúde. O objetivo geral é apresentar as atividades artísticas e lúdicas e avaliar seus impactos no cotidiano institucional, especialmente na valorização dos sujeitos e na promoção de vínculos entre usuários e equipe extensionista. A equipe é constituída por vinte alunos de graduação de enfermagem, psicologia e terapia ocupacional e cinco docentes com diferentes áreas de formação. As experiências relatadas se reportam ao período de outubro de 2014 a dezembro de 2015 e foram registradas em cadernos de campo. A análise sistemática das experiências evidenciou as potencialidades das atividades lúdicas e artísticas no campo da saúde mental. Observamos as contribuições significativas para a expressão de singularidades de cada participante, a valorização de habilidades e potências e, também, o rompimento com a medicalização e o controle da vida nas instituições totais. Apontam, assim, para outros modos de estar na vida, de produzir cuidado e formar recursos humanos para a saúde mental.


Palavras-chave


Saúde mental; Serviços de saúde mental; Etnografia; Terapia pela arte.

Texto completo:

PDF/A

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Cadernos Brasileiros de Saúde Mental, ISSN 2595-2420, Florianópolis - Santa Catarina, Brasil. Todos os direitos reservados, 2018.