A dimensão do rádio no campo da saúde mental: a experiência da rádio ondas mentais online

Danilo Moreira Marques, Ellen Cristina Ricci, Thiago Lavras Trapé, Rosana Teresa Onocko-Campos, Bruno Ferrari Emerich

Resumo


O objetivo deste trabalho é refletir sobre o lugar (a dimensão) possível do rádio, concebido como modo de se comunicar, no contexto ético e político da Reforma Psiquiátrica brasileira, a partir de minha experiência em uma oficina de rádio de um Centro de Convivência.
A partir do movimento da Reforma Psiquiátrica brasileira, pautado em um complexo processo de transformação social, que, por um lado, visa redirecionar o modelo assistencial ao sofrimento psíquico para os serviços territoriais, e por outro, combater a visão preconceituosa da sociedade com suas diferenças, observa-se que o tema do resgate dos direitos sociais historicamente negados às pessoas confinadas durante décadas dentro dos manicômios, sobretudo, o direito à liberdade e à comunicação, são os pilares deste movimento. Neste sentido, inventar novos dispositivos que possibilitem o acesso aos meios de comunicação contra hegemônicos, que possibilitem novos modos de se comunicar e se expressar, são assuntos de interesse das políticas públicas de saúde mental no Brasil.


Palavras-chave


Oficinas de Rádio; Centros de Convivência; Reabilitação Psicossocial; Cidadania; Saúde.

Texto completo:

PDF/A

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Cadernos Brasileiros de Saúde Mental, ISSN 2595-2420, Florianópolis - Santa Catarina, Brasil. Todos os direitos reservados, 2018.