Acolhimento no serviço de atenção psicossocial

Jeferson Rodrigues, Felipe Faria Brognoli

Resumo


Trata-se de um artigo de reflexão teórica que analisa o acolhimento na perspectiva da atenção psicossocial. A lógica engendrada entende o acolhimento como um dispositivo que é transversal a atenção à saúde e sua operacionalização foi considerada como o contexto sanitário o concebe em seus documentos oficiais. A utilização do acolhimento na clínica foi refletida a partir da suspensão do saber antecipado daquele que fala sobre seu sofrimento, justamente como condição para a escuta e para o acolhimento. O referencial teórico-metodológico foi problematizado para fazer parte da escolha pelo profissional para cuidar das pessoas em sofrimento. O saber-fazer do tema estudado foi discutido nas dimensões da técnica, da postura e da reorientação do serviço. Compreende-se que um dos critérios para que o acolhimento torne-se efetivo deve ser pautado no acesso, acompanhamento e na co-responsabilização, tendo em vista que não é possível formular uma demanda se não há vinculo e sem ele não há transferência e nem cuidado singular. A função do acolhimento é também distinguir o tipo de queixa e demanda para avaliar a adequação dos serviços em relação ao usuário. Os profissionais que atuam no campo da saúde mental precisam saber de seu próprio desejo de estar nesse lugar do cuidado para que possam sustentar sua prática e se responsabilizar efetivamente pelo cuidado. A ética tem a ver com a responsabilidade singular para com o outro, de responder a situação de vulnerabilidade, sofrimento e risco, mas para constituir profissionais capazes de responder ao outro, deve-se primeiro dar conta das ansiedades e dos medos que levam a pressupor que o outro seja eu mesmo na relação paciente-profissional. Ser profissional é ser acolhedor em qualquer circunstância, pois o acolhimento é inerente à prática de saúde no Sistema Único de Saúde em qualquer ponto da Rede de serviços e não apenas no momento da recepção ao usuário.


Palavras-chave


Acolhimento; Saúde Mental; Equipe; Multiprofissional.

Texto completo:

PDF/A

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Cadernos Brasileiros de Saúde Mental, ISSN 2595-2420, Florianópolis - Santa Catarina, Brasil. Todos os direitos reservados, 2018.