Prevalência de sintomas depressivos em estudantes universitários

Laressa Krefer, Stela Adami Vayego

Resumo


A depressão é um transtorno do humor, causada não por um agente etiológico, mas por múltiplos fatores determinantes, principalmente sociais. Suas manifestações podem ser tanto psicológicas e comportamentais – como desânimo, apatia, pessimismo – e somáticas - como perda de apetite e insônia. De acordo com a OMS, a depressão tende a se tornar a doença que causará mais perdas à vida humana no mundo nos próximos anos. As dificuldades da vida acadêmica tornam os estudantes universitários um grupo vulnerável ao transtorno da depressão. A prevenção é uma medida para evitar o aparecimento ou agravamento dessa doença. Ela pode ser feita ao se detectar precocemente sintomas depressivos por meio de instrumentos validados. Este estudo tem por objetivo verificar a ocorrência de sintomas depressivos em alguns estudantes da UFPR. Os dados foram coletados via internet no período de abril a dezembro de 2012. Após aceitarem o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE), 181 estudantes da UFPR responderam à pesquisa, sendo 42% da Psicologia, 11% da Medicina, 22% da Letras e 25% da Nutrição, com idades entre 17 e 52 anos. Entre os alunos, 26,52% apresentaram sintomas que foram classificados como depressão grave, 34,25% depressão moderada, 24,31% depressão leve e 14,92% apresentaram sintomas mínimos de depressão ou nenhum sintoma.  A prevalência de sintomas depressivos entre estudantes do sexo feminino foi de 85,71% e 81,82% entre os estudantes do sexo masculino. A variável renda apresentou associações positivas significativas (p-valor = 0,0185) com o escore obtido no IDB.


Palavras-chave


Depressão; Saúde mental do estudante; IDB.

Texto completo:

PDF/A

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Cadernos Brasileiros de Saúde Mental, ISSN 2595-2420, Florianópolis - Santa Catarina, Brasil. Todos os direitos reservados, 2018.