Duas versões históricas para a psicoterapia institucional / Two historical versions for institutional psychotherapy

Izabel Friche Passos

Resumo


O artigo traz a análise de certa tensão existente entre duas versões históricas para a proposta da Psicoterapia Institucional: uma primeira vertente idealizada e experimentada por François Tosquelles e outra, posterior, de caráter clínico-psicanalítico, sustentada por Jean Oury. A Psicoterapia Institucional é uma importante proposta teórico-prática de transformação da instituição psiquiátrica, a partir do interior de estabelecimentos hospitalares. Surgida na França no segundo pós-guerra, ao contrário de propostas posteriores mais radicais como a Psiquiatria Democrática italiana ou o nosso Movimento de Luta Antimanicomial, que têm por objetivo a superação completa desse tipo de instituição asilar e sua substituição por equipamentos abertos e comunitários de assistência em saúde mental, as duas vertentes históricas da Psicoterapia Institucional, guardando suas diferenças, posicionam-se pela defesa da manutenção de um espaço especial de acolhimento e convívio intra-institucional para pessoas com sofrimento psíquico. Sustentam que tal defesa seria compatível com a crítica ao manicômio que, à semelhança de outras reformas psiquiátricas, subscrevem.

ABSTRACT: The article presents an analysis of existing tensions between two historical versions of institutional psychotherapy: a first strand idealized and experienced by FrançoisTosquelles and another, subsequent, of psychoanalytical character, supported by Jean Oury. Institutional Psychotherapy has important theoretical and practical proposals to transform the psychiatric institution, from the inside of hospitals. It was created in France in the post second world war period and differs from more radical proposals such as the Italian Democratic Psychiatry Movement or our Brazilian Anti-Manicomial Movement. The latter aims to overcome this kind of asylum and to replace it by mental health care community equipments. The two historical versions of institutional psychotherapy, guarding their differences, defend the maintenance of a special place of institutional coexistence for people with psychological distress. They argue that this defense is compatible with the criticism of the asylum, as sustained by other strands of psychiatric reforms .

Keywords: Institutional psychotherapy. Psychiatric reform. Psychiatric hospitals. Asylums.


Palavras-chave


Psicoterapia Institucional; Reformas psiquiátricas; Instituição asilar.

Texto completo:

PDF-A

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Cadernos Brasileiros de Saúde Mental, ISSN 2595-2420, Florianópolis - Santa Catarina, Brasil. Todos os direitos reservados, 2018.