A atuação de estudantes da fronteira oeste do Rio Grande do Sul junto aos movimentos sociais no fortalecimento da luta antimanicomial: um relato de experiência/ Performance of southern western border students for strengthening the anti-asylum movement

Danielle Celi dos Santos Scholz, Fabiana Guterres da Silva, Rodrigo Lima Rodigues, Judete Ferrari, Odete Messa Torres, Mariana Mattia Corrêa

Resumo


Os movimentos pela luta antimanicomial têm início com o Movimento dos Trabalhadores em Saúde Mental (MTSM), em 1978, que organiza uma série de críticas ao hospitalocentrismo, às más condições de trabalho e de tratamento, e à privatização da assistência psiquiátrica, construindo um pensamento crítico no campo da saúde mental que permite visualizar uma possibilidade de inversão desse modelo a partir do conceito de desinstitucionalização. A exemplo do movimento precursor da luta antimanicomial em São Paulo (SP), com o decorrer dos anos, diferentes manifestações ocorrem no Brasil. As chamadas Paradas do Orgulho Louco têm como objetivo quebrar os paradigmas de exclusão da loucura, levando a discussão a ser feita na sociedade por meio do debate em relação a indagações e propostas sobre o vasto tema da saúde mental. Nesse contexto, essa produção tem o objetivo de relatar as experiências vivenciadas pelos estudantes da Fronteira Oeste do Rio Grande do Sul no processo de fortalecimento da luta antimanicomial junto aos movimentos sociais da região, por meio da participação na I Parada Gaúcha do Orgulho Louco do Município de Alegrete (RS).

ABSTRACT The Anti-Asylum Movement begins with the Workers’ Movement in Mental Health (MTSM) in 1978, which organizes a series of criticisms of the hospital-centrism, such as poor working conditions and treatment and the privatization of psychiatric care, building a critical thinking in the mental health field which allows to visualize the possibility of reversing this model from the concept of deinstitutionalization. Like the forerunner of the Anti-Asylum Movement in São Paulo (SP), over the years, different manifestations occured in Brazil. The so-called Mad Pride Parades aim to break the paradigm of exclusion of madness, bringing this discussion to be done in society through the debate in relation to inquiries and proposals on the broader theme of mental health. In this context, this production aims to report the students’ experience in the Border West of Rio Grande do Sul in the process of strengthening the Anti-Asylum Movement together with social movements in the region through participation in the First Crazy Pride Gaucho Parade in the city of Alegrete (RS).

KEYWORDS: Mental Health; Anti-Asylum Movement; Social Movements.


Palavras-chave


Saúde Mental; Luta Antimanicomial; Movimentos Sociais.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Cadernos Brasileiros de Saúde Mental, ISSN 2595-2420, Florianópolis - Santa Catarina, Brasil. Todos os direitos reservados, 2018.