A violência e o protocolo de noticificação como analisadores dos processos de trabalho da atenção primária em saúde

Vanessa Almira Brito de Medeiros Galvão

Resumo


Apesar dos avanços no reconhecimento da violência como problema de saúde pública ainda existe dificuldades para enfrentá-la no cotidiano dos serviços. Como estratégia e instrumento de vigilância epidemiológica o Ministério da Saúde elaborou a “Ficha de Notificação/Investigação individual – Violência Doméstica, Sexual e/ou outras Violências Interpessoais”. Esse trabalho é resultado de um estudo acerca do processo de implantação desse protocolo na rede básica de saúde de Natal/RN. Pretende discutir como se deu tal implantação e de que forma os processos de trabalho na atenção básica são afetados pela violência e pela necessidade de uso desse instrumento. Metodologicamente, foram realizados encontros com cinco unidades para discutir as demandas vivenciadas, dificuldades, estratégias e apresentar o protocolo como possibilidade de intervenção. Percebeu-se que a violência e o protocolo configuram-se como analisadores do processo de trabalho, apresentando limites (reforço do paradigma de risco, desresponsabilização) e potencialidades (invenção de novas formas de cuidado, repensar as práticas) no contexto da atenção primária à saúde. Palavras-chave: saúde pública; violência; notificação; processo de trabalho em saúde; subjetividade.

Palavras-chave


saúde pública; violência; notificação; processo de trabalho em saúde; subjetividade.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Cadernos Brasileiros de Saúde Mental, ISSN 2595-2420, Florianópolis - Santa Catarina, Brasil. Todos os direitos reservados, 2018.