A utilização do ciclo PDCA para melhoria da qualidade na manutenção de shuts

Alyson Da Luz Pereira Rodrigues, Mariene Silva Santos, Mayanne Camara Serra, Eduardo Mendonça Pinheiro

Resumo


A busca pela perfeição em termos de qualidade, manutenção e confiabilidade é uma das condições básicas para que as empresas se mantenham competitivas no mercado e, para isso, existem métodos que ajudam a alcançar tais condições, como o método PDCA. O objetivo desta pesquisa é aplicar o ciclo PDCA para aumentar a produtividade em atividades de manutenção de Shuts de correias transportadoras. Por meio de um estudo de caso, foi apresentado o uso do revestimento interno (Chock Bar) na aplicação de Shuts de correias transportadoras, no cenário produtivo de uma empresa mineradora de grande porte, para garantir a máxima disponibilidade sem causar impactos na produção. Após a descrição de todas as etapas do ciclo PDCA através do estudo realizado, a identificação de causas de problemas quanto a manutenção de correias transportadoras, além da identificação e implantação de melhorias, foi um dos principais benefícios da aplicação da metodologia.


Palavras-chave


Manutenção; PDCA; Qualidade; Shuts

Texto completo:

PDF

Referências


ALICE WEB 2. Site do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Disponivel em: http://aliceweb.mdic.gov.br/,2015.

ANDRADE, F. F. O método de melhorias PDCA. (Dissertação apresentada à Escola Politécnica de São Paulo para obtenção do Mestrado em Engenharia). São Paulo,2003.

CALABREZI S. R. da S. A multimodalidade para o transporte de cargas: identificação de problemas em terminais visando à integração dos modais aéreo e rodoviário. (Dissertação de Mestrado). Universidade Estadual de Campinas. Campinas,2007.

CARNEIRO, H. P. Automação Inteligente da Operação de Máquinas de Pátio em Modo Recuperação de Minério do Terminal Portuário de Ponta da Madeira – VALE. 2009. 78 f. Monografia (Pós-Graduação em Engenharia Portuária) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2009.

CARPENETTI, L. C. R. Gestão da qualidade: Conceitos e técnicas. São Paulo: Atlas, 2ª Ed, 2012.

COSTA, R. R. Projeto de Mineração .1ª edição. Universidade Federal de Ouro Preto, vol. 1 e 2, Ouro Preto, 1979.

Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos – DEPEC. Informativo Minério de Ferro. Bradesco – Economia. 2015.

FALCONI, V. TQC: controle da qualidade total (no estilo japonês). 8. ed. Nova Lima, MG: INDG Tecnologia e Serviços Ltda. 256 p,2014.

FILHO, G. B. Dicionário de Termos de Manutenção e Confiabilidade. Ciência Moderna, 2000.

FURMANN, J. Desenvolvimento de um Modelo para a Melhoria do Processo de Manutenção Mediante a Análise de Desempenho de Equipamentos. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção), Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis,2002.

GIL, A. C. Como Elaborar Projetos de Pesquisa. 4 ed. São Paulo: Atlas, 2010.

GONTIJO, C. DE B. L. M. (2009) Estudo de variáveis relevantes que interferem na seleção dos modelos de caminhões para transporte de minério. Programa de Especialização em Sistemas Minero-Metalúrgico. Monografia, UFOP.

Instituto Brasileiro de Mineração - IBM. Informações e Análises da Economia Mineral Brasileira. 7ª Edição. Brasília. 2012.

ISHIKAWA, KAORU. Controle da qualidade total: a maneira Japonesa. Rio de Janeiro: Ed. Campus. 1993.

KARDEC, A.; NASCIF J. Manutenção: função estratégica. 3ª edição. Rio de Janeiro: Qualitymark: Petrobrás, 2009.

LIU Y., HUANG. Optimal selective maintenance strategy for multi-state systems under imperfect maintenance. IEEE Transactions onReliability, v. 59, n. 2, p. 356-367, https://doi.org/10.1109/TR.2010.2046798, 2010.

MARÇAL, R. F. M. Gestão da Manutenção. Ponta Grossa: Programa de Especialização em Gestão Industrial com ênfase em Produção e Manutenção (ESPGESTIND-PM), 2008.

MÁRQUEZ, A. C. et al.The maintenance management framework: a practical view to maintenance management. Journal of Quality in Maintenance Engineering, v. 15, n. 2, p. 167-178. https://doi.org/10.1108/13552510910961110, 2009.

MARSHALL JUNIOR et al. (2008). Gestão da qualidade. 9. ed. Rio de Janeiro: Editora FGV.

MATTHIES K. Slower Price Rises in Commodity. Markets Intereconomics, v. 42, n. 2, p. 109- 112, https://doi.org/10.1007/s10272-007-0213-z. ,2007.

MIGUEL, P. A. C. Metodologia de pesquisa em engenharia de produção e gestão de operações. Rio de Janeiro: Elsevier,2010.

Ministério de Minas e Energia - MME. Plano Nacional de Mineração 2030. Brasília,2010.

NASCIF, J. & DORIGO, L. C. Manutenção orientada para resultados. Rio de Janeiro: Qualymark, 2010.

PIRES, L. S. Relatório Anual de 2014. Vale S.A. Rio de Janeiro, 2015.

ROTHER, M. Toyota Kata: Managing People for Improvement, Adaptiveness and Superior Results. New York: McGrawHill. 2010.

SHEWHART, W. A. (). Statistical Method from the Viewpoint of Quality Control. Graduate School of the Department of Agriculture. Washington, D.C,1939.

SOUSA JÚNIOR, W. T. Seleção de caminhões rodoviários para mineração utilizando a metodologia de auxílio multicritério à decisão: estudo de caso - Mineração de bauxita. Ouro Preto: Escola de Minas da Universidade Federal de Ouro Preto. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Engenharia Mineral. 160 p.,2012.

SOUZA, C. A. & SACCOL, A. Z. Sistema ERP no Brasil: teoria e casos. São Paulo: Atlas,2008.

TAKATA, S. et al.. Maintenance: Changing Role in Life Cycle Management. Annals of the CIRP, 53(2), 643–655, 2004.

WANG W. An overview of the recent advances in delay-time-based maintenance modeling. ReliabilityEngineeringandSystemSafety.http://dx.doi.or.g/10.1016/j.ress.2012.04.004,2012.

WERKEMA. M. C. C. Métodos PDCA e DMAIC e suas ferramentas analíticas. Rio de Janeiro: Elsevier. 2013.

XENOS, H. G. P. Gerenciando a Manutenção Produtiva. Nova Lima: INDG Tecnologia e Serviços Ltda, 2004.