GESTÃO DE RISCOS ORGANIZACIONAIS EM EMPRESAS DE BASE TECNOLÓGICA: UMA ANÁLISE BIBLIOMÉTRICA

Fernando de Souza Savian, Taís Bisognin Garlet, Julio Cezar Mairesse Siluk

Resumo


A gestão de riscos organizacionais visa identificar e gerir a incerteza em tempo hábil, discernindo quais deles podem afetar os objetivos estratégicos da organização. Assim, é possível implementar iniciativas para aumentar a probabilidade de agregar valor ao negócio, minimizando as perdas, auxiliando os gestores no fortalecimento de seus negócios. Dessa forma, este artigo buscou observar as tendências na literatura em gestão de riscos organizacionais decorrentes de ativos intangíveis em empresas de base tecnológica incubadas. O estudo apresentou uma análise bibliométrica de 18 artigos a respeito da temática. Esses materiais são provenientes das bases de dados ScienceDirectScopus e Emerald durante o período de 2011 a 2017. Os resultados apresentaram comportamento oscilatório no número de publicações acerca da temática durante o período analisado, mas demonstraram que há interesse mundial da comunidade científica no assunto. Além disso, verificou-se que o idioma predominante na escrita das publicações foi o Inglês e o país que mais publicou artigos na área foi os Estados Unidos, apresentando também o maior número de citações. Constatou-se que a palavra-chave mais utilizada pelos autores dos artigos analisados foi “risk management” e o artigo “Enterprise Risk Management: Review, Critique, and Research Directions”, publicado no periódico Long Range Planning, apresentou o maior número de citações. Identificou-se ainda que, dentre os 10 artigos mais citados, oito foram publicados em periódicos com fator de impacto JCR®, comprovando sua relevância. Essa análise permitiu uma melhor compreensão dos aspectos importantes no desenvolvimento de pesquisas no assunto abordado e possibilitou a análise de suas futuras direções. 


Palavras-chave


Bibliometria; Gestão de riscos organizacionais; Empresas de Base Tecnológica

Texto completo:

PDF

Referências


ALBORT-MORANT, G.; RIBEIRO-SORIANO, D. A bibliometric analysis of international impact of business incubators. Journal of Business Research, v. 69, n. 5, p. 1775-1779, 2016.

ARRUDA, C.; NOGUEIRA, V.; COZZI, A.; COSTA, V. Causa da mortalidade de startups brasileiras: o que fazer para aumentar as chances de sobrevivência no mercado?, Fundação Dom Cabral / Núcleo de Inovação e Empreendedorismo, 2014.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE STARTUPS. StartupBase. Brasil, 2017. Disponível em: http://startupbase.abstartups.com.br/status

BEATTY, M. J.; FEELEY, T. H.; DODD, M. D. Journal impact factor or intellectual influ-ence? A content analysis of citation use in Communication Monographs and Human Commu-nication Research (2007-2009). Public Relations Review, v. 38, n. 1, p. 174-176, 2012.

BOUYSSOU, D.; MARCHANT, T. Ranking scientists and departments in a consistent man-ner. Journal of the American Society for Information Science and Technology, v. 62, n. 9, p. 1761-1769, 2011.

BROMILEY, P.; MCSHANE, M.; NAIR, A.; RUSTAMBEKOV, E. Enterprise Risk Man-agement: Review, Critique, and Research Directions. Long Range Planning, v. 48, n. 4, p. 265-276, 2015.

CARROLL, R. Identifying risks in the realm of enterprise risk management. Journal of Healthcare Risk Management, v. 35, n. 3, p. 24-30, 2016.

CASADO, F. L.; SILUK, J. C. M.; ZAMPIERI, N. L. V. Universidade empreendedora e desenvolvimento regional sustentável: proposta de estudo. I Fórum Internacional Ecoinovar, 2012.

CHEN, W.; LIU, W.; GENG, Y.; BROWN, M. T.; GAO, C.; WU, R. Recent progress on emergy research: a bibliometric analysis. Renewable and Sustainable Energy Reviews, v. 73, p. 1051-1060, 2017.

DAIM, T.U.; RUEDA, G.; MARTIN, H.; GERDSRI, P. Forecasting emerging technologies: Use of bibliometrics and patent analysis. Technological Forecasting and Social Change, v. 73, p. 981-1012, 2006.

DE BATTISTI, F.; SALINI, S. Robust analysis of bibliometric data. Statistical Methods & Applications, v. 22, n. 2, p. 269-293, 2013.

DURMUSOGLU, A. A pre-assessment of past research on the topic of environmental-friendly electronics. Journal of Cleaner Production, v. 129, p. 305-314, 2016.

ETZKOWITZ, H.; DE MELLO. J. M. C.; ALMEIDA, M. Towards “meta-innovation” in Brazil: The evolution of the incubator and the emergence of a triple helix. Research Policy, v. 34, n. 4, p. 411-424, 2005.

GRACE, M. F.; LEVERTY, J. T.; PHILLIPS, R. D.; SHIMPI, P. The value of investing in enterprise risk management. Journal of Risk and Insurance, v. 82, n. 2, p. 289-316, 2015.

HO, Y.-S. Bibliometric analysis of adsorption technology in environmental science. Journal of Environmental Protection Science, v. 1, p. 1-11, 2007.

HYYTINEN, A.; PAJARINEN, M.; ROUVINEN, P. Does innovativeness reduce startup survival rates? Journal of Business Venturing, v. 30, n. 4, p. 564-581, 2015.

KOHLER, T. Corporate accelerators: Building bridges between corporations and startups. Business Horizons, v. 59, p. 347-357, 2016.

MERIGÓ, J. M.; GIL-LAFUENTE, A. M., YAGER, R. R. An overview of fuzzy research with bibliometric indicators. Applied Soft Computing, v. 27, p. 420-433, 2015.

PÉREZ-PÉREZ, M.; LÓPEZ-FERNÁNDEZ, M.-C.; SERRANO-BEDIA, A.-M.; KOCABASOGLU-HILLMER, C. A critical review of manufacturing and supply chain research through co-words analysis: 2004-2014. 2015 International Conference on Logistics, Informatics and Service Sciences (LISS), 2015.

RAMOS-RODRIGUEZ, A. R.; RUIZ-NAVARRO, J. Changes in the intellectual structure of strategic management research: a bibliometric study of the strategic management journal, 1980-2000. Strategic Management Journal, v. 25, n. 10, p. 981-1004, 2004.

RIES, E. A startup enxuta: como os empreendedores atuais utilizam a inovação contínua para criar empresas extremamente bem-sucedidas. São Paulo: Lua de Papel, 2012.