O processo de inovação em empresas terceirizadas do ramo de manutenção industrial

Rodrigo Bedendo, Ivanete Schneider Hahn, Flavia Luciane Scherer, Larissa Back, Rosiane Oswald, Vania Medianeira Flores Costa

Resumo


A inovação e a inovação aberta são amplamente aplicadas em grandes empresas com altos potenciais tecnológicos e a academia dá grande ênfase em estudar esses fenômenos nestas organizações. Contudo recente literatura demonstra que as ações de inovação também estão presentes em micro e pequenas empresas, e que sua utilização vem crescendo. Este estudo objetiva identificar o processo de inovação nas empresas terceirizadas no ramo de manutenção industrial da região conhecida como extremo Oeste de Santa Catarina. O estudo parte dos seguintes objetivos secundários: identificar o perfil inovativo das empresas, descrever seus processos inovativos e de inovação aberta (open innovation) e o grau de abertura dessas empresas para a inovação. O método de investigação é caracterizado por uma pesquisa qualitativa, descritiva, usando como estratégia um estudo multicasos, sendo o objeto de estudo cinco empresas do ramo de manutenção industrial localizadas na região conhecida como extremo oeste de Santa Catarina. A apreciação dos dados aconteceu por meio de análise de conteúdo. Observou-se que o perfil inovativo das empresas consiste na inovação de processos e produtos, trabalhando basicamente com adaptações e melhoramentos de produtos já existentes. Ainda, a inovação ocorre predominantemente por meio de fontes internas com ênfase nos colaboradores. Em relação à formação de redes de cooperação ou open innovation, infere-se que ainda é uma prática restrita, que ocorre, contudo, em alguns casos, de forma informal. Buscou-se contribuir para a formação de arcabouço teórico sobre o tema inovação, enfocando um setor pouco explorado em literatura anterior – a manutenção industrial.


Palavras-chave


Serviços; Inovação; Inovação aberta

Texto completo:

PDF/A

Referências


ALEXANDER, A.T.; MARTIN, D.P. Intermediaries for open innovation: A competence-based comparison of knowledge transfer offices practices. Technological Forecasting & Social Change, v.80, p.38-49, 2013.

BESSANT, J.; TIDD, J. Inovacao e Empreendedorismo. (Tradução Elizamari Rodrigues Becker, Gabriela Perizzola, Patricia Lessa Flores da Cunha) Porto Alegre: Bookman, 2009.

CARPENTER, V.L.; FEROZ, E.H. Institutional theory and accounting rule choice: an analysis for four US state governments’ decisions to adopt generally accepted accounting principles. Accounting, Organizations and Society, v.26, n.7-8, p. 565-596, 2001.

CASTRO, M.S. Imitação e inovação em empresas de software do Rio Do Sul. 1998. Dissertação (Mestrado em Administração) – Programa de Pós-Graduação em Administração, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Rio Grande do Sul. 1998. Disponível em: http://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/2384/000230801.pdf?sequence=1

COBRA, M. Serviços: Como Construir Valor para o Cliente. São Paulo: Marcos Cobra, 2004.

CHESBROUGH, H. Open Innovation: The new imperative for creating and profiting from technology. Boston: Harvard Business Press, 2003.

COSTA, P.R. Cooperabilidade e inovação: análises e proposições no contexto das multinacionais brasileiras. Tese (Doutorado em Administração) - Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012. Disponível em: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12139/tde-24082012-150039/

DAHLANDERA, L.; GANNB, D.M. How open is innovation? Research Policy, v.39, p.699-709, 2010.

DRECHSLER, W.; NATTER, M. Understanding a firm's openness decisions in innovation. Journal of Business Research, v.65, n.3, p.438-445, 2012.

DOYLE, E.; O’CONNOR, F. Innovation capacities in advanced economies: Relative performance of small open economies. Research in International Business and Finance, v.27, p.106-123, 2013.

FERRO, A.F.P. Open Innovation in a Cosmetic Firm: Developing Capabilities in Managing Communities. In: Anais… XXV Simpósio da Inovação Tecnológica, Brasilia/DF – 22 a 24 de outubro de 2008.

FREITAS, C.A.S. Aprendizagem, isomorfismo e institucionalização: o caso da atividade de auditoria operacional no Tribunal de Contas da União. Dissertação (Mestrado em Administração) - Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade de Brasília, 2005.

GIL, A.C. Métodos e Técnicas de Pesquisa social. São Paulo: Atlas, 1999.

GOMES, G.; MACHADO, D.D.P.N.; GIOTTO, O.T. Análise do conteúdo dos artigos de inovação publicados nos anais do ALTEC, SIMPOI e EnANPAD (2003-2007). Revista de Administração e Inovação (On-line), v.8, n.4, p.27-44, 2011.

HAYES, R.; PISANO, G.; UPTON, D.; WHEELWRIGHT, S. Produção, Estratégia e tecnologia Em Busca Da Vantagem Competitiva. Porto Alegre: Artmed, 2005.

HUIZINGH, E.K.R.E. Open innovation: State of the art and future perspectives. Technovation, v.31, n.1, p. 2-9, 2011.

JANEIRO, P.M.R. Inovação Aberta: os tipos de empresas de serviços que utilizam as Universidades nas suas actividades de inovação. Dissertação (Mestrado em Marketing) - ISEG/UTL – School of Economics and Management - Technical University of Lisbon, 2010. Disponível em: https://www.repository.utl.pt/bitstream/10400.5/2926/1/Inova%C3%A7%C3%A3o%20Aberta_Pedro%20Janeiro.pdf

KLEMENT, C.F.F. Inovação em serviços: estudo de casos em uma organização da indústria hoteleira brasileira. 2007. Tese (Doutorado em Administração) - Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007. Disponível em: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12139/tde-28092007-181505/

KNEIPP, J. M.; ROSA, L.A. B.; BICHUETI, R.S.; MADRUGA, L.R.R.G.; SCHUCH JÚNIOR, V.F. Emergência Temática Da Inovação Sustentável: Uma Análise Da Produção Científica Através Da Base Web Of Science. Revista de Administração da UFSM, v. 4, n. 3, p. 442-457, 2011.

KUBOTA, L.C.; ALMEIDA, M.W. Comércio e serviços mercantis no Brasil: uma análise de sua evolução recente. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) – 1640 - Texto para discussão, Brasília, Jul., 2011. Disponível em: http://repositorio.ipea.gov.br/bitstream/11058/1449/1/td_1640.pdf

LAURSEN, K.; SALTER, A. Open for Innovation: the role of openness in explaining innovation performance among U.K. manufacturing firms. Strategic Management Journal, v.27, n.2, p.131–150, 2006.

LICHTENTHALER, U.; LICHTENTHALER, E. A Capability-Based Framework for Open Innovation: Complementing Absorptive Capacity. Journal of Management Studies, v.46, n.8, p. 1315-1338, 2009.

LOPES, F.B. Identificação de fatores que impactam a inovação em empresas têxteis brasileiras. 2011. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) - Escola Politécnica, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011. Disponível em: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/3/3136/tde-23032012-120511/

LIMA, R.D. Aspectos teóricos e práticos da terceirização do trabalho rural. São Paulo: LTR, 1999.

MAGALHÃES, T.C. Inovações tecnológicas e qualificação dos trabalhadores de empresas do setor metal-mecânico do estado do Rio Grande do Sul: estudo de casos. 1998. Dissertação (Mestrado em Administração) – Programa de Pós-Graduação em Administração, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Rio Grande Do Sul, 1998. Disponível em: http://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/2167/000227249.pdf?sequence=1

MOLINA-PALMA, M.A. A capacidade de inovação como formadora de valor: análise dos vetores de valor em empresas brasileiras de biotecnologia. 2004. Tese (Doutorado em Administração) - Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2004. Disponível em: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12139/tde-10112004-212943/

PRAHALAD, C.K.; KRISHNAN M.S. The New Age of Innovation: Driving Cocreated Value Through Global Networks. McGraw-Hill, 2008.

QUEIROZ, C.A.R.S. Manual de terceirização: onde podemos errar no desenvolvimento e na implantação dos projetos e quais são os caminhos do sucesso. São Paulo: STS, 1992.

RODRIGUES, L.C.; MACCARI, E.A.; CAMPANARIO, M.A. Expanding the open innovation concept: the case of Totvs S/A. Revista de Gestão da Tecnologia e Sistemas de Informação, v.7, n.3, p. 737-754, 2011.

SCHUMPETER, J.A. Capitalismo, Socialismo e Democracia (Traduzido por Ruy Jungmann). Rio de Janeiro: Editora Fundo de Cultura, 1961.

SEBRAE. Critérios e conceitos para classificação de empresas. Disponível em: http://www.sebrae.com.br/uf/goias/indicadores-das-mpe/classificacao-empresarial. Acesso em: 15-05-2013.

SILVEIRA, A.D.; SARATT, N.; MORAES, R.P. Um passo além da terceirização: a transferência de atividades e tecnologia. Porto Alegre: Badejo Editorial, 2002.

TÁLAMO, J.R. O Processo de Inovação nas Indústrias de Pequeno e Médio Porte do Estado de São Paulo - Setores Da Eletro Eletrônica e Telecomunicações. Dissertação (Departamento de Engenharia de Produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo. São Paulo, 2001.

ULRICH, L., HOLGER, E. Opening up the innovation process: the role of technology aggressiveness. R&D Management, v.39, n.1, p.38-54, 2009.

VRANDE, V.; JONG, J.P.J; VANHAVERBEKE, W; ROCHEMONT, M. Open innovation in SMEs: Trends, motives and management challenges. Technovation, v.29, p.423-437, 2009.

VIDAL, J.S.F.; MEDEIROS, J.J. Aspectos estratégicos e operacionais do processo de terceirização dos serviços de manutenção de uma ferrovia. In: Anais... XXV Encontro da ANPAD (ENANPAD), Campinas/SP - 16 a 19 setembro de 2001.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 4. Ed. Porto Alegre: Bookman, 2010.

WANG, Y.; VANHAVERBEKE, W.; ROIJAKKERS, N. Exploring the impact of the open innovation on national systems of innovation – A theoretical analysis. Technological Forecasting & Social Change, v.79, p.419-428, 2012.